Comissão de Segurança Pública da AL se reúne com cúpula da SSP

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/06/2013 às 12:28:00

Irritado com as críticas que o Corpo de Bombeiros estava recebendo do deputado Capitão Samuel (PSL), o comandante da corporação, coronel Nailson Melo, deixou a reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, que era realizada ontem de manhã. Também estavam presentes o secretário da Segurança Pública Pública, João Eloy, secretário adjunto, João Batista; a superintendente da Polícia Civil, Catarina Feitosa; o comandante da Polícia Militar, Coronel Maurício Yunes, e acoordenadora da Polícia Civil da capital, delegada Viviane Pessoa.

O clima ficou acirrado no debate quando o deputado Capitão Samuel fazia a leitura das explicações feitas pelo Comandante do Corpo de Bombeiros diante das denúncias do parlamentar questionando a liberação de alvarás para a realização do Pré-Caju 2013 e do Forró Caju 2012. O Comandante do Corpo de Bombeiros, Nailson Melo, repudiou a leitura e se retirou da sala aos gritos.

Antes da interferência de Samuel sobre os bombeiros, os membros da SSP expuseram um levantamento de suas ações no combate à marginalidade e ao crime organizado. Por horas responderam aos mais diversos questionamentos dos parlamentares e até quando foram criticados, souberam contra argumentar e defender seus pontos de vista. Ficou acordado que os membros devem retornar ainda este ano para a Comissão, com o intuito de seguir prestando contas e para ampliar o diálogo com a Assembleia Legislativa.

Por sua vez, o Secretário de Segurança Pública, João Eloy, disse que o debate foi excelente e bastante produtivo. "A Casa do Povo também é a Casa da Polícia. Eu só tenho que agradecer ao deputado Capitão Samuel e aos demais que participaram do debate e pela oportunidade da gente mostrar o que estamos fazendo na Segurança Pública, como também ouvir as críticas e procurar resolver os problemas".

Questionado sobra a falta de mais investimentos para a SSP, o secretário preferiu reconhecer os avanços do governo de Marcelo Déda. "Nenhum outro governo investiu tanto em Segurança como esse. Agora nós temos que fazer muito mais, temos que colocar mais polícia nas ruas para passar uma sensação de segurança para a sociedade. Nós temos a Polícia Civil com grandes dificuldades de efetivo também, mas que vem elucidando todos os crimes, principalmente aqueles de maior repercussão".

Sobre o corte de investimentos para a SSP, colocado por Samuel, o secretário disse que "o governo tem ajudado e muito a segurança. A partir de agosto nós acreditamos muito que o governo possa lançar o concurso. O problema de efetivo existe e a cada ano ele diminui. Agora nós temos que trabalhar com inteligência. Não adianta a gente entrar em desespero. As pessoas têm o direito de irem para a reserva e se aposentarem, mas cabe a SSP avaliar como suprir as ausências e nós vamos fazer isso com concurso".