Secretário discute em Brasília estratégias para a erradicação do subregistro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/06/2012 às 15:26:00

O secretário de Estado dos Direitos Humanos (SEDHUC), Luiz Eduardo Oliva, foi a Brasília participar do III Encontro Nacional de Agentes Mobilizadores para a Promoção do Registro Civil de Nascimento e Documentação Básica- Dados e Indicadores.
Segundo dados do Censo 2010, atualmente cerca de 600 mil crianças de 0-10 anos não possuem a certidão de nascimento no país. Em Sergipe 4.777 crianças  de 0- 1 ano não têm o registro civil.
O encontro teve por objetivo fomentar a discussão sobre as estratégias já implementadas, bem como traçar novos métodos para a erradicação desta realidade, que são os cidadãos que ainda não têm certidão de nascimento (subregistro), com especial atenção às populações de rua, às comunidades indígenas, ciganas, ribeirinhas, populações atingidas por catástrofes e catadores de material reciclável.

Número alto - "O índice de pessoas sem o registro civil infelizmente é muito alto e isto implica-se em dizer que  ela não tem o direito de exercer sua cidadania, é como se ela não existisse. Ela não pode ter direito a nenhum benefício do Governo, a nenhum programa social e para o Governo  Federal a ausência de registro civil também é negativo pois ele não poderá receber os valores referentes a estas pessoas para poder auxiliá-las", explica o secretário dos Direitos Humanos, Luiz Eduardo Oliva.
No encontro foram apresentados os dados do IBGE de 2010 para que a partir deles os secretários pudessem conhecer as estimativas, entender onde estão estas pessoas sem registro e assim planejar ações específicas para erradicar o subregistro civil.