Bandidos assaltam loja de conveniência na 13 de Julho

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/06/2012 às 15:29:00

Um assalto seguido de um grande cerco da polícia surpreendeu os moradores do bairro 13 de Julho (zona sul da capital), ao início da manhã de ontem. Por volta das 7h20, dois homens armados assaltaram um posto de combustíveis da rede Petrox na esquina das avenidas Beria-Mar e Anízio Azevedo. Segundo informações da polícia, eles invadiram a loja de conveniência do posto e anunciaram o assalto, rendendo quatro funcionários que estavam assumindo o turno da manhã. Encapuzados e muito agressivos, os criminosos obrigaram as vítimas a levá-los até o escritório do posto, onde o gerente também foi rendido.
A ação durou cerca de cinco minutos e foi registrada pelo circuito interno de TV da agência. "A câmera de segurança mostrou que um deles botou o capuz e colocou a arma na cabeça de um funcionário e chamou o gerente pelo nome para ele abrir o cofre sob ameaça de atirar. Isso nos leva a crer que era alguém que tinha conhecimento da rotina da loja e do posto", disse o representante da rede Petrox, Luiz da Silveira. As imagens mostram ainda que os dois bandidos obrigaram o gerente a entregar todo o dinheiro do cofre e também dos caixas, colocando a quantia em uma mochila.
Os bandidos fugiram andando até uma rua sem saída que fica nos fundos do estabelecimento. Eles não chegaram a roubar o posto, porque os frentistas, ao verem a movimentação dentro da loja, se trancaram em uma sala para se proteger.  A Polícia Militar foi chamada e chegou ao local em menos de 10 minutos, com várias equipes da Companhia de Radiopatrulha (CPRp), do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM) e, posteriormente, com um helicóptero do Grupamento Tático Aéreo (GTA) que sobrevoou a região da 13 de Julho. A suspeita inicial da polícia foi a de que os ladrões teriam se escondido em uma das casas próximas ao posto, já que vários dos imóveis estão abandonados ou passam a maior parte do tempo fechados.
Durante as buscas, os PMs entraram em uma oficina de pintura de veículos, onde um homem que dormia nos fundos foi detido como suspeito. A confusão foi desfeita depois que os policiais checaram as imagens do circuito de TV da loja e não reconheceram o homem, que foi liberado em seguida. Segundo o proprietário da oficina, o homem detido por engano é um ex-funcionário do estabelecimento, que tem sua permissão para dormir no local. Os policiais, por sua vez, alegaram que ele possuía características parecidas com as que foram relatadas pelas vítimas do assalto.
Buscas continuaram sendo realizadas pelo bairro durante toda a manhã, mas nenhum dos bandidos foi encontrado. O caso foi encaminhado para a 1ª Delegacia Metropolitana (Leite Neto), que vai investigar o roubo. (Gabriel Damásio)