Sercine apresenta sessão com áudio descrição

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/07/2013 às 11:49:00

Ir ao cinema, escolher um filme através das sinopses, comprar a pipoca e entrar na sala. Ações comuns para muita gente, mas não tão comuns para quem tem deficiência visual. A grande maioria das grades de cinema, se não todas elas, não oferecem sessões para pessoas com algum tipo de deficiência visual, deixando essa importante parcela da população excluída desse universo cultural.
Na terceira edição do Festival de Cinema Sercine, que está sendo realizado desde a terça-feira, 9, uma mostra de sessões com áudio descrição foi realizada no auditório do Museu da Gente Sergipana, na última quinta-feira, 11. Segundo um dos organizadores do Sercine, Renan Sobral, o intuito é incluir pessoas com deficiência visual. "Estamos no terceiro ano do festival e sempre realizamos a Mostra de Acessibilidade com esse tipo de filme. Dessa forma, contemplamos as pessoas com deficiência visual, promovendo a inclusão social", destaca Renan Sobral.
O vereador Lucas Aribé fez questão de acompanhar a Mostra por entender a importância desse momento para a comunidade que luta por acessibilidade. "Achei muito interessantes essas exibições. Eu, particularmente, senti como se estivesse vendo as imagens", diz. Aribé ainda defendeu que mais sessões como essas fossem realizadas. "Sei que aqui é um festival, mas acho que mostras como essa poderiam ser exibidas também nos cinemas convencionais", completou.
A presidente do Instituto Lucas e Mariana Aribé de Acessibilidade para a Inclusão Social de Pessoas com Deficiência, o Iluminar, Ana de Fátima Alves, contou a sua experiência ao acompanhar a Mostra de Acessibilidade. "Sou vidente e, em três filmes, fechei os olhos para ter a mesma experiência que eles. Foi incrível, pois consegui
compreender perfeitamente a história dos filmes", explica.
Sentado em uma das primeiras fileiras, Edvaldo dos Anjos fez uma observação interessante. "Realmente, foi muito bom. Entretanto, seria interessante que a ficha técnica do filme também fosse exposta para quem não vê. É bom saber quem fez, os atores, o diretor, enfim, as informações", afirma.
Depois dos filmes, o grupo fez um tour pelo Museu da Gente Sergipana. Além da Mostra da Acessibilidade, que contou com seis produções, estão sendo realizadas a mostra infantil e a competitiva. O Sercine segue até este sábado, 13.