Henry Fonda

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
DO SEGUNDO CASAMENTO DE HENRY NASCERAM OS DOIS FILHOS ATORES, JANE E PETER FONDA
DO SEGUNDO CASAMENTO DE HENRY NASCERAM OS DOIS FILHOS ATORES, JANE E PETER FONDA

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/07/2013 às 14:56:00

Henry Jaynes Fonda, nasceu no dia 16 de maio de 1905, em Grand Island, estado de Nebraska (EUA), filho de um tipógrafo e de  uma empregada doméstica. Foi criado na cidade de Omaha, onde também viviam as famílias de Marlon Brando e de Montgomery Clift. Lá, iniciou-se nas artes , escrevendo contos para o jornal local.

Dizem que foi a mãe de Marlon Brando quem o incentivou a se decidir pela carreira de ator no cinema.
Henry casou-se cinco vezes: em 1931, com Margareth Sullivan, em 1936 com Francis Brokas (com quem teve dois filhos, Jane e Peter, que viriam a ser os famosos atores Jane Fonda e Peter Fonda); em 1950, com Susan Blanchard (quando adotou sua filha, Amy); em 1957, com Alfreda Franchetti; e em 1965, com Shirley Adams. Vá gostar de casar assim, no Afeganistão...
Entre seus maiores sucessos na tela, destacam-se: "Vinhas da Ira", "Mister Roberts", "Era Uma Vez no Oeste", "O homem Errado", "O Amargo Sabor do Poder", "Fedora", e "Num Lago Dourado", que lhe rendeu o Oscar de melhor ator.
Nos 45 anos em que se dedicou ao cinema, o pai de Jane e Peter fez 50 filmes, todos com atuações irretocáveis, dignas de outros tantos Oscars

......

O homem está deitado numa cama de lençóis muito brancos. Ao seu lado, médicos e parentes próximos. De repente, um leve tremor o abala e o homem fecha seus profundos olhos azuis para sempre.
Muitas foram as vezes em que Henry Fonda viveu esta sequência nas telas. Porém, naquela quinta-feira, 12 de agosto de 1982, quando repetiu esses gestos, não estava representando. Não houve luzes que se apagassem ou câmeras que fossem desligadas.

O coração do velho Hank - como Henry era conhecido - cansara de lutar contra suas próprias deficiências, como vinha fazendo já há uma década comparável a uma eternidade.
Aos 77 anos, o ícone vivia sua última cena.
Com o falecimento de Henry Fonda desapareceria o último grande mito da geração romântica do cinema norte-americano.

Seus filhos, Jane Fonda e Peter Fonda, estão aí, atuantes e saudáveis. Mas em que pesem a beleza e o talento de Jane e a competência de Peter (como ator e diretor), os dois, juntos, não conseguem reunir o mesmo potencial carismático do incrível Henry Fonda, cujo nome se confunde com a própria história do cinema Made In Hollywood.

(Resumo do Capítulo 18 do meu livro inédito "Ícones do Cinema que Nunca Sairão de Cena")