Jackson e ministro lançam Plano Safra em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/07/2013 às 22:58:00

Os municípios do semiárido sergipano iniciam uma nova etapa produtiva e de desenvolvimento econômico com a entrega de 13 máquinas agrícolas e o lançamento do Plano Safra do semiárido na manhã desta terça-feira, 23. Na ocasião, foi assinado ainda o Acordo de Cooperação Técnica para o Programa Territórios da Cidadania. Acompanhado do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, o governador em exercício, Jackson Barreto destacou que o investimento impulsionará a economia e o desenvolvimento das cidades beneficiadas.
"O Plano Safra é uma ação em favor da agricultura sergipana e do País. Os recursos que serão investidos aqui darão suporte à agricultora familiar, que gera emprego, receita e mantém o trabalhador no campo. Nunca neste País se fez tanto pelo homem do interior e do semiárido. A agricultura é fundamental para nossa economia e nosso desenvolvimento. Somos um estado pequeno com muitos investimentos e ações.

Nos últimos seis anos, temos muitos investimentos na região do semiárido, na infraestrutura dessa região e hoje somos o segundo produtor de milho do Nordeste. A agricultura familiar é fundamental para a economia do nosso estado, para gerar emprego e renda, para que o estado tenha um direcionamento focado no compromisso social", declara Jackson Barreto.

A entrega de pás carregadeiras e retroescavadeiras integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do Governo Federal, e fortalece a agricultura familiar, através da melhoria da infraestrutura das estradas vicinais e da limpeza de pequenas barragens que armazenam água para a produção agrícola e dessedentação dos animais. O investimento de R$ 3.776.750 beneficia 129 mil pessoas residentes da área rural e mais de 21 mil agricultores familiares em 13 cidades sergipanas. Os municípios contemplados foram: Feira Nova, Riachão, Nossa Senhora das Dores, Simão Dias, Lagarto, Arauá, Canindé, Capela, Carmópolis, General Maynard, Malhada dos Bois, Rosário do Catete e Santo Amaro.

Sergipe é o primeiro estado da Federação a receber pá carregadeira - equipamento que integra o conjunto de maquinários (retroescavadeira, motoniveladora, caminhão pipa, caminhão-caçamba e pá carregadeira) destinado para realização de obras de infraestrutura. Desde 2012, o MDA entregou 113 máquinas agrícolas a municípios sergipanos. 68 retroescavadeiras, 37 motoniveladoras e 8 pás carregadeiras, num investimento superior a R$ 27 milhões.

Além das 13 máquinas entregues nesta terça, outras 24 máquinas estão em vias de ser entregues. São 8 caminhões pipa e 16 caminhões caçamba que se destinam a 24 municípios e já foram adquiridos pelo MDA, num investimento de R$ 5.744 milhões.
O ministro Pepe Vargas destacou que cada município sergipano receberá o investimento de R$1.460 milhão com a entrega do maquinário (retroescavadeira, motoniveladora, caminhão pipa, caminhão-caçamba e pá carregadeira).
"O PAC é um grande programa de investimentos, que abrange diversas áreas e, entre elas, as estradas vicinais. É um aporte significativo e esperamos que os prefeitos recuperem suas estradas, façam obras de recuperação de aguadas, barragens, limpeza de terrenos etc. Esta é a primeira vez que o País tem um programa de doação de máquinas como este. Isso demonstra o respeito do Governo Federal com as prefeituras. Melhorando as estradas, estamos beneficiando o transporte de mercadorias, o transporte escolar, o tráfego de ambulâncias. Já entregamos 37 motoniveladoras, começamos a entregar as pás carregadeiras e entregarmos ainda caminhões-pipa. Com a entrega de hoje, já entregamos todas as retroescavadeiras disponibilizadas para Sergipe. Cada município estará recebendo uma retroescavadeira, uma moto niveladora, um caminhão-pipa, um caminhão caçamba e uma pá carregadeira, o que representa um investimento de R$1.460 milhão", afirma Pepe Vargas.

A seleção das cidades sergipanas considerou a participação do Produto Interno Bruto (PIB) agrícola no PIB total do município, ter menos de 50 mil habitantes, possuir maior extensão territorial e maior presença de agricultores familiares em relação ao total dos produtos registrados no município.