PMA recolhe dados para projeto de adequação dos mercados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/07/2013 às 03:02:00

Técnicos da Defesa Civil municipal e da Diretoria de Espaços Públicos da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Direpa/Emsurb) estiveram, na última semana, no Mercado Municipal Albano Franco para iniciar uma inspeção em toda a edificação. A visita foi acompanhada pelo presidente do órgão, Júlio Flores, e servirá para coleta de dados sobre as condições estruturais do local.
"Viremos durante toda esta semana realizar vistorias e a apuração de todos os problemas que existem no mercado para reforçar as informações para que a Emsurb possa realizar a manutenção do local", explicou o coordenador da Defesa Civil municipal, coronel Reginaldo Moura. Essas informações também farão parte do projeto preventivo de combate a incêndio e pânico que deve ser elaborado e apresentado pela empresa pública ao Corpo de Bombeiros, segundo determinação do Poder Judiciário sergipano.

O setor de frutas, verduras e cereais foi o primeiro a receber a equipe técnica. Hidrantes e caixas de energia foram analisados. "Nossos coordenadores irão acompanhá-los para apontar as deficiências do local e eles nos apontarão todo tipo de problema que causa risco aos frequentadores, clientes, permissionários e funcionários do local", explicou o presidente da Emsurb, Júlio Flores.

Vigilância Sanitária - No mês de março as atividades de reestruturação do Mercado Municipal Albano Franco foram intensificadas. A Coordenação de Vigilância Sanitária de Aracaju (Covisa) esteve no local em reunião convocada pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) com comerciantes e permissionários. As orientações repassadas faziam parte do trabalho de readequação dentro dos padrões corretos de acondicionamento de produtos e limpeza a fim de garantir a segurança e a saúde da população.

A restauração da estrutura metálica da cobertura do mercado também já foi finalizada. Houve ainda a desativação das câmaras frigoríficas que mantinham carnes e pescados em condições insalubres. As mesmas foram substituídas temporariamente por contêineres refrigerados e serão demolidas nos próximos dias para serem substituídas por novas após processo de licitação.