UMA PRAÇA DE EVENTOS ONDE É PROIBIDO FAZER EVENTOS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/07/2013 às 23:02:00

Temos agora em Aracaju uma enorme praça de eventos onde não há eventos, mas não é por falta de eventos que a praça está vazia. Na praça deserta os eventos estão proibidos. Agora procura-se um outro local onde realizá-los, abandonando-se a Orla da Atalaia, sem dúvidas o local mais apropriado e hoje interditado. O prefeito João Alves estaria propenso a abandonar também a praça de eventos do Mercado Albano Franco, analisando a possibilidade de construir uma nova praça na Coroa do Meio, no local onde são instaladas as barracas de fogos.    

Na noite da última sexta-feira, um grande show promovido por Fabiano Oliveira teve de ser realizado exatamente na Coroa do Meio, numa grande área sem infraestrutura escondida nos fundos das concessionárias de veículos no começo da avenida Luiz Gonzaga. Impedido de usar o espaço propício da Praça de Eventos da Orla, Fabiano encontrou uma alternativa, instalando um grande aparato de tendas, arquibancadas e camarotes sobre o lamaçal, e a festa, mesmo assim, foi um enorme sucesso. Mas os problemas no transito mostraram que o traçado da Cora do Meio dificulta a mobilidade quando há grande concentração de gente e veículos. A explicação para o veto aos shows na Orla teria sido a estridência dos decibéis a perturbar o sossego público, sossego que, é aliás, um item a ser analisado diferenciadamente quando se trata de áreas turísticas. Se o problema for barulho, estridências ruinosas para quem se propõe a ter um sono sossegado, então, existe algo mais a ser feito, que seria a interdição do Kartódromo também na Orla um foco gerador de desassossego permanente. Os que sentem prazer em fazer de conta que pilotam bólidos das fórmulas 1, ou Indy, naqueles desgraciosos e preguiçosos carrinhos parece que não fazem outra coisa na vida a não ser brincar de ser piloto de mentirinha. Os karts são miúdos, mas fazem um barulho ensurdecedor, e chato, incomodo, quase infernal, quando começam a funcionar as seis da manhã, e a noite ainda estão atazanando a vida dos que moram em torno, num raio de mais de um quilometro. E isso acontece sem tréguas durante toda a semana, de domingo a domingo, seja inverno ou verão. Mas a Praça de Eventos , local, como o nome estaria a indicar, apropriado para festas, aglomerações, mesmo tendo apenas esporádicas atividades, foi interditada, ao que se informa para que se fizesse respeitada a lei do silencio. E cadê o silêncio?