Luz Amarela

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Jorge: reação natural
Jorge: reação natural

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/07/2013 às 02:45:00

O ex-deputado federal Jorge Alberto (PMDB), que até pouco tempo ocupava a Casa Civil do governo de Sergipe, revelou que foi comunicado da sua exoneração pela imprensa. E o pior: que a canetada foi do próprio vice-governador em exercício, Jackson Barreto, presidente estadual do seu partido. "Soube da notícia através de um telefone da minha filha que leu uma nota", contou Alberto, em entrevista ao radialista Gilmar Carvalho, no programa de ontem do Jornal da Ilha. Antes, o ex-chefe da Casa Civil contou detalhes de todo o processo que o levaram a estar fora hoje do governo de Sergipe. Segundo revelou, ele já se sentia excluído em novembro do ano passado, quando o governador Marcelo Déda criou o Núcleo de Governança, sendo que o petista Sílvio Santos assumiria a Casa Civil.
"Na conversa, Déda me disse que gostaria que eu continuasse no governo, sendo o responsável pelo escritório de representação do governo em Brasília. Como servidor público, tinha direito a duas licenças-prêmio e a dois meses de férias. Preferi passar os oito meses gozando dos meus benefícios como servidor", informou. Em uma nova conversa, no mês de abril deste ano, Déda teria voltou a convidá-lo para assumir o Escritório de Sergipe em Brasília, cargo que não foi aceito. O fato é que Déda teve sete meses para exonerar Jorge Alberto e não o fez. Segundo o peemedebista, coube a JB assinar o seu decreto de exoneração, algo que o pegou de surpresa. Coincidentemente, o ato foi logo após o episódio envolvendo a nomeação de Roberto Bispo para a Codise, que provocou as polêmicas twitadas de Déda.

Na entrevista, Jorge Alberto disse que teve uma conversa com JB em sua casa, um dia após saber da exoneração, e que saiu de lá extremamente chateado. "Politicamente, ele me colocou numa situação delicada. Nessa conversa, eu alertei isso a ele e disse que não poderia aceitar isso sem reagir", revelou. Como todos sabem, Jorge Aberto é da ala liderada pelo empresário Marcos Franco. Tem uma atuação direta na construção do diretório municipal do partido em cerca de 30 municípios, onde exerce influência direta, e avisou que tomará uma decisão até o final de setembro, quanto sua permanência ou não na sigla.
"Tenho 60 dias para me decidir. Vou conversar com todos os meus aliados e o que eu decidir, uma coisa ou outra, vou reavaliar a minha posição política ou o que irei pleitear no PMDB. A partir do momento que tem um ato de exoneração assinado pelo presidente estadual do partido, que exerce a governadoria em exercício, lógico que a luz amarela acendeu. Tenho um currículo político que foi construído com muito esforço, muita abnegação e determinação, e isto eu vou colocar em avaliação", disse.

Com essas declarações, a luz amarela, não só de Jorge Alberto, mas do PMDB se acendeu, pois não se trata de um simples filiado, mas de uma das principais lideranças do partido em Sergipe que hoje está fora do governo e dele, já disse, não fará mais parte novamente. 

CONDENADO
O Tribunal de Contas do Estado condenou o ex-prefeito do município de Areia Branca, Ascendino de Souza Filho, a ressarcir aos cofres públicos o montante de R$124.577,62. A decisão é resultado do julgamento do processo referente à Tomada de Contas Especial alusiva ao Exercício Financeiro de 2000, que teve como relator o conselheiro Ulices Andrade. No relatório apresentado consta uma série de irregularidades que não conseguiram ser elididas pelo interessado, a exemplo da existência de despesas sem comprovação de notas fiscais no valor de R$ 48.676,62; da aquisição de bens e prestação de serviços sem as notas fiscais correspondentes, no montante de R$ 5.415,00; e das despesas realizadas com notas fiscais avulsas e indevidas, na soma de R$ 4.976,00.

FOCADO
Jânio Dias é um político oriundo das classes menos favorecidas, mas que teve na educação o seu principal pilar para estudar, trabalhar e crescer na vida. E é justamente nisso que está focado o seu mandato de vereador de Laranjeiras, promover ações que tragam benefícios à população de seu município. No primeiro semestre de 2013 ele apresentou uma média significativa de proposituras ao prefeito Juca de Bala, dentre elas, 20 indicações retratando construção de Praças nos conjuntos residenciais, bairros e povoados; construção de uma via de pedestres ligando o centro ao conjunto Manoel do Prado Franco, luta por um melhor transporte coletivo.