Trabalhadores da Embrapa paralisam atividades nesta quarta-feira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/06/2012 às 15:58:00

A Seção Sindical de Aracaju do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (SINPAF) promove nesta quarta-feira (27), a partir das 8 horas, a paralisação das atividades dos empregados por um dia. O ato acontece em repúdio à forma como a Embrapa vem se portando nas negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Os integrantes do movimento manterão vigília e mobilização em tendas na entrada da unidade, com atividades políticas, culturais e recreativas com todos os colegas.
"Nas exaustivas, maçantes e pouco efetivas reuniões de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2012-2013), a Embrapa tem demonstrado imensa desconsideração para com a categoria. Além de não avançar nas cláusulas econômicas e sociais, a Embrapa assumiu uma postura clara de confronto com os trabalhadores ao negar direitos já estabelecidos no acordo coletivo vigente, tais como: liberação em dia de pagamento, café da manhã e tempo de cobertura para pagamento do auxílio creche", afirma o presidente da Seção, Joel Lamoglia.

Luto - Desde segunda-feira (25), os empregados estão externando o 'luto simbólico' pela morte das negociações usando uma fita preta no braço direito, e continuam a usá-la até a sexta-feira (29), data em que a diretoria da Embrapa se comprometeu a realizar a próxima reunião de negociação, em Brasília.
As bandeiras relativas ao tema da reformulação do Plano de Cargos e Salários também não foram aceitas pela Embrapa, que pediu sua exclusão da pauta. Sobre os itens econômicos, a Embrapa manteve o índice de 5,1% de reajuste salarial, o que nada mais é do que a mera reposição das perdas inflacionárias, sem qualquer ganho real para os trabalhadores. Esse índice insuficiente foi, ainda, proposto pela empresa para ser estendido aos demais benefícios financeiros, como tíquete alimentação e auxílio-creche.