Para relator, depoimento de arquiteto serviu para mostrar que Perillo mentiu

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/06/2012 às 16:11:00

Luciana Lima
Agência Brasil

Brasília - Após ouvir o depoimento do arquiteto Alexandre Milhomen, o relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), concluiu que o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), mentiu em depoimento prestado à comissão no dia 12 de julho.
De acordo com o relator, Perillo teria "montado" a história da venda da casa para esconder sua relação com o empresário Antônio Carlos de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, apontado pela Polícia Federal como líder de uma organização criminosa que envolve políticos e empresários.
Ao ser indagado se o governador teria mentido em seu depoimento, Cunha respondeu: "Com certeza. Está evidente que a história foi uma história montada. A história da casa é para negar a relação do governador com o senhor Carlos Cachoeira", disse o relator.
Milhomen disse na CPMI que foi contratado por Andressa Mendonça, mulher de Cachoeira, para decorar a casa na qual que ela moraria provisoriamente. Pelo serviço, o arquiteto disse ter recebido R$ 50 mil, pagos em cinco parcelas de R$ 10 mil. O arquiteto também calculou que as compras de móveis e objetos de decoração para a casa somaram cerca de R$ 500 mil, pagos por Andressa.
"Quem comprou a casa foi o senhor Carlos Cachoeira, os áudios mostram isso, e aqui o arquiteto disse que quem o contratou foi a senhora Andressa", disse o relator.
As gravações interceptadas pela Polícia Federal indicam que os serviços prestados pelo arquiteto foram contratados em maio de 2010, antes que ocorresse a negociação do imóvel da forma que o governador informou à comissão. Em fevereiro desse ano, a Polícia Federal prendeu Cachoeira nessa casa.

Perillo se defende -  O governador Marconi Perillo rebateu, por meio de sua assessoria de imprensa, as declarações do relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), de que ele teria mentido em seu depoimento na comissão. De acordo com Perillo,o relator está tentando "requentar" o assunto da venda de sua casa, fato que, em sua avaliação, já foi devidamente explicado.
"Como não encontrou nenhum indício de ligação do governador com a Delta ou com o esquema do senhor Carlos Cachoeira, tenta mais uma vez requentar o assunto da casa, já devidamente explicado e entendido pelas pessoas isentas", informou a assessoria de Perillo. Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, é investigado por ligação com o jogo do bicho e atos de corrupção que supõem-se ainda envolver políticos e outros empresários.