Cerca de 120 ex-funcionários da VCA já foram contratados por nova empresa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/08/2013 às 11:35:00

Kátia Azevedo
 katiaazevedo@jornaldodiase.com.br

Pelo menos 120 motoristas, cobradores e pessoal da manutenção e área administrativa que foram recentemente demitidos pelas permissionárias São Pedro e Cidade Histórica já fazem parte do quadro efetivo de funcionários da empresa Atalaia Transportes, que desde a semana passada passou a operar as linhas de ônibus deixadas pelo Grupo Viação Cidade (VCA).
Segundo a direção do Sindicato dos Rodoviários em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sinttra), os trabalhadores estão sendo integrados pela nova empresa à medida que os ônibus da operadora estão sendo entregues em Aracaju.
José Carlos Ramos, diretor do Sinttra, informa que muitos motoristas e cobradores já receberam as fardas e iniciam o trabalho nesta quinta-feira, 8. Outra parte já iniciou o trabalho no sábado, quando a empresa começou a operar.
"As contratações estão acontecendo como previsto e o sindicato está acompanhando de perto todos os casos", informa. A nova operadora está assumindo as linhas de ônibus dos municípios de Aracaju, Barra dos Coqueiros, São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro. Desde julho, a frota de veículos da VCA e das permissionárias São Pedro e São Cristóvão foi afastada do sistema por uma série de problemas evolvendo a infraestrutura e pontualidade do serviço.
A Atalaia Transportes começou a operar no dia 03 deste mês, com a linha Santa Maria/ Mercado, Nº 004, com uma frota de oito ônibus. Na segunda-feira, a empresa passou a integrar também a linha 040, Marcos Freire II/DIA, no itinerário Conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro, ao Terminal de Integração do Distrito Industrial (DIA), na zona sul da capital sergipana.  A previsão da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) é que até o final desta semana, a frota com 40 ônibus já esteja concluída.
A nova frota contará com 146 ônibus, que explorarão as 25 linhas. A frota deve ficar completa num prazo máximo de 75 dias. Além das contratações, a direção do sindicato da categoria também vem acompanhando o processo de rescisões dos ex-funcionários da VCA. A preocupação, segundo José Carlos Ramos, é com o  cumprimento do pagamento de garantias trabalhistas provenientes das demissões. Na última assembleia geral da categoria realizada na semana passada, os rodoviários discutirem o encaminhamento do processo de desligamento, pendências trabalhistas da VCA que precisam ser resolvidas e a migração para a nova empresa.
"Mantemos a posição de ingressarmos com uma ação coletiva para se garantir na justiça o recebimento dos benefícios trabalhistas a que todos os rodoviários, pessoal de apoio e técnicos administrativos têm direito. Entretanto, antes tem que ser dada a baixa na carteira de trabalho, processo que ainda não foi concluído. Depois disso, o sindicato avaliará o momento certo para tomar a medida", explicou José Carlos Ramos.
Ainda de acordo o diretor do Sinttra, nem todos os trabalhadores poderão ser incorporados ao quadro funcional agora, mas a nova empresa está realizando seleção, cadastro e treinamento com uma parcela significativa dos rodoviários.