Governo de Sergipe vai doar busto de Tobias Barreto ao STF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Marcelo Déda em audiência com o presidente do STF, Carlos Ayres Britto
O governador Marcelo Déda em audiência com o presidente do STF, Carlos Ayres Britto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2012 às 09:32:00

 

Numa homenagem póstuma a um dos maiores intelectuais do Estado, o Governo de Sergipe vai doar ao Supremo Tribunal Federal (STF) o busto de Tobias Barreto de Meneses (1839-1889). A informação foi oficializada no começo da noite desta terça-feira, em Brasília, durante audiência entre o governador Marcelo Déda e o ministro Ayres Britto, presidente do STF.
Em seu discurso de posse à frente da Corte Suprema, no último 19 de abril, o sergipano Ayres Britto qualificou Barreto como "gênio da raça". Na ocasião, ilustrou seu elogiado pronunciamento de posse com sentença proferida pelo jurista, escritor e filósofo sergipano: "Direito não é só uma coisa que se sabe, mas também uma coisa que se sente".
A obra, em processo de finalização, será assinada pelo artista plástico mineiro Léo Santana. O escultor é responsável pela criação de algumas das mais famosas obras do país. No seu portfólio estão monumentos como "Drummond no Calçadão", homenagem da cidade do Rio de Janeiro ao centenário do poeta Carlos Drummond de Andrade.
Ainda durante a audiência, o governador informou ao ministro que a Editora Diário Oficial (Segrase) e a Editora Imago publicarão a obra completa de Tobias Barreto. Serão dez volumes abrangendo estudos de Direito, Filosofia, Literatura, Política Social e Religião, sendo alguns escritos em alemão.
Tobias Barreto é o patrono da cadeira número 38 da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Numa homenagem póstuma a um dos maiores intelectuais do Estado, o Governo de Sergipe vai doar ao Supremo Tribunal Federal (STF) o busto de Tobias Barreto de Meneses (1839-1889). A informação foi oficializada no começo da noite desta terça-feira, em Brasília, durante audiência entre o governador Marcelo Déda e o ministro Ayres Britto, presidente do STF.

Em seu discurso de posse à frente da Corte Suprema, no último 19 de abril, o sergipano Ayres Britto qualificou Barreto como "gênio da raça". Na ocasião, ilustrou seu elogiado pronunciamento de posse com sentença proferida pelo jurista, escritor e filósofo sergipano: "Direito não é só uma coisa que se sabe, mas também uma coisa que se sente".

A obra, em processo de finalização, será assinada pelo artista plástico mineiro Léo Santana. O escultor é responsável pela criação de algumas das mais famosas obras do país. No seu portfólio estão monumentos como "Drummond no Calçadão", homenagem da cidade do Rio de Janeiro ao centenário do poeta Carlos Drummond de Andrade.

Ainda durante a audiência, o governador informou ao ministro que a Editora Diário Oficial (Segrase) e a Editora Imago publicarão a obra completa de Tobias Barreto. Serão dez volumes abrangendo estudos de Direito, Filosofia, Literatura, Política Social e Religião, sendo alguns escritos em alemão.

Tobias Barreto é o patrono da cadeira número 38 da Academia Brasileira de Letras (ABL).