Festival de Curtas destaca relações humanas e protagonismo feminino

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/08/2013 às 02:14:00

A 24ª edição do Festival de Curtas de São Paulo traz mais de 400 filmes nacionais e internacionais, que serão exibidos ao público desde ontem, 23, em 17 locais na capital, além de Ribeirão Preto, Sorocaba, Votorantim (SP) e Curitiba. Os curtas estão divididos em quarto mostras - Internacional, Latino-Americana, Brasil e Panorama Paulista - e em 14 programas especiais.

Na Mostra Brasil, serão apresentados 58 curtas selecionados entre os 567 inscritos, que focam paisagens, regionalidades brasileiras e relações humanas. Entre as estreias, estão o curta Nascemos Hoje, Quando o Céu Estava Carregado de Ferro e Veneno, da dupla Marco Dutra e Juliana Rojas, diretores do longa-metragem  Trabalhar Cansa, que estreou no Festival de Cannes.
"É muito impressionante pensar como esse Brasil diverso está bem retratado na tela. E tem um aprofundamento nas relações humanas. Tem mais filmes falando de gente, de como as pessoas se relacionam, do que históricos, tragédias ou coisas assim. Isso foi muito bonito de pensar", ressaltou a diretora do Festival, Zita Carvalhosa.

A mostra Internacional apresenta este ano 58 produções, selecionados a partir de mais de 3 mil curtas-metragens inscritos. Destacam-se este ano os filmes do Oriente Médio e África, especialmente em relação às questões do feminino. Um dos destaques é Yellow Fever, uma coprodução Quênia-Reino Unido da diretora Ng'endo Mukii, que explora a autoimagem de mulheres africanas e a beleza exposta pela mídia. O filme foi o vencedor de vários festivais na África e também no Festival de Oberhausen, na Alemanha.
"Na mostra Internacional a gente reparou uma coisa: as mulheres apareceram. No Oriente Médio e na África, essas cinematografias em geral não tinham muita representação feminina. E este ano tivemos vários filmes que abordam o universo da mulher, o que quer dizer também que tem uma transformação ali que a gente pode ver nos curtas", ressalta Carvalhosa.

Em cinco programas e 27 filmes, a Mostra Latino-Americana tem a maioria dos curtas vindos da Argentina, com destaque para o bom humor e o cinismo diante do comportamento humano. "Os filmes são muito interessantes nesse tipo de abordagem."

Um dos destaques da edição 2013 é o programa Cinema do Desbunde, que trará filmes experimentais dos anos 70 feitos em Super 8. Cineastas brasileiros vão exibir, pela primeira vez no festival, filmes de 3 minutos neste modo. "Nos anos 70, um cinema mais livre era possível por causa da câmera Super 8. Hoje todo mundo está com uma câmera na mão. E a gente está pensando que se pode deslumbrar um pouco mais com essas câmeras na mão. É esse o sentido. A gente deu um rolinho de Super 8 para cada realizador para eles fazerem um filme com um rolinho de 3 minutos."

O 24º Festival Internacional de Curtas de São Paulo teve início no último dia 22 - sessão para convidados - e segue até 30 de agosto. As sessões abertas ao público começam hoje, no Museu da Imagem e do Som, CineSesc, Espaço Itaú Augusta, Cinemateca Brasileira, Cine Olido, Centro Cultural São Paulo e Cinusp. A entrada é gratuita. Em Ribeirão Preto ocorre em 7 e 8 de setembro, em Sorocaba e Votorantim, de 12 a 15 de setembro, e em Curitiba, de 20 a 22 de setembro.(Agência Brasil)