Senador confirma que PSC terá candidato a governador em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/08/2013 às 02:36:00

O senador Eduardo Amorim (PSC) iniciou mais uma semana de trabalho nesta segunda-feira, 26, participando de entrevista na capital sergipana na rádio Liberdade FM, com o radialista Evenilson Santana.
Com base nas pesquisas sempre divulgadas na mídia sobre os nomes a pré-candidatura ao governo do estado para o próximo ano, Evenilson questionou como pauta inicial ao parlamentar sobre a decisão do agrupamento em que o parlamentar se insere.

"O partido social cristão terá um pré-candidato para o governo do estado sim, porém, acho muito cedo para decisões. O povo apenas está esgotado com a precariedade do serviço público. É preciso que em todos os estágios - saúde, educação, segurança tenhamos uma excelente qualidade. Já não dar mais para suportar e o povo está consciente".
Ouvintes e internautas interagiram extensivamente por todo o programa Liberdade Sem Censura, agradecendo ao senador por suas lutas na bancada em Brasília por várias classes, dentre elas, a do Educador Físico, Agentes de Saúde, Motoristas de Ambulância, "naquilo que pudermos ser o instrumento para defender e beneficiar, estaremos na luta, sempre".

Programa Mais Médicos - Para Eduardo Amorim, o governo está perdendo uma grande oportunidade. "O programa não deveria ser denominado de 'Mais Médicos', e sim, 'Mais vida', ou seja, o governo poderia trazer uma política de recursos humanos, que valorize todos os profissionais que estão inseridos na área de saúde - psicólogos, agentes de saúde, enfermeiros. É preciso que todos sejam valorizados. Um não pode ser concorrente do outro, mas existir a soma", pontuou.

Redução da Maioridade Penal - Segundo Amorim, para solucionar questão sobre a Redução da Maioridade Penal, seria de forma simples, convocando a todos um plebiscito. "O melhor caminho é solicitar a opinião do povo. Deixe que o povo se manifeste que o povo seja convocado a conceder sua opinião, afinal, vivemos num país democrático", lembrou.

Reforma Política - "Fica o meu sentimento de frustração. O que deveria ser uma reforma política ampla e necessária, infelizmente estamos presenciando mais uma vez, uma reforma de remendos. Estamos perdendo e deixando de responder aos anseios do povo brasileiro, não enquadrando com o momento em que o país está vivendo", disse o parlamentar quando direciona sua fala aos manifestos atuais da população por um país melhor.

Hospital do Câncer - Sobre a não iniciação da obra do Hospital do Câncer em Sergipe, tema sempre abordado nas entrevistas com o senador Eduardo Amorim por ser um defensor assíduo, ele disse não entender o que falta para dar início à tão aguardada obra. "Não tenho dúvida que o Governo Federal encaminha ainda mais recursos para a construção do Hospital do Câncer, o problema é não ter começado a obra. Esses questionamentos só cabem à secretaria de saúde, porque para mim, é incompreensível não ter iniciado com o que temos em caixa", lamentou.

Questionamentos - Por toda entrevista, o senador Eduardo Amorim questionou o porquê de tantos erros da administração atual do governo do estado. "Será que as coisas estão andando? São sete anos no poder e nada melhora! Nunca tivemos um Estado tão violento e tão endividado. A gente não ver um exemplo de economia, com nenhuma extinção de cargos comissionados. Por que não diminuir o número de secretarias? Nós temos mais secretarias do que o governo de São Paulo". Eduardo Amorim ainda complementa:
"Será que nós realmente merecemos isso? Será que não pagamos tão caro e recebemos tão pouco! O sentimento que temos é de absoluta desesperança, porém, não podemos perdê-la nunca e acreditar sim, em tempos melhores", finalizou.