Panfletos apócrifos serão apurados pela PF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/06/2012 às 11:34:00

Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

A Polícia Federal vai abrir inquérito para investigar a distribuição de panfletos apócrifos que continham ofensas e acusações ao prefeito de Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju), Fábio Henrique (PDT). No final da tarde de anteontem, três mulheres foram detidas entregando tais panfletos em ruas do Conjunto João Alves, depois dedenunciadas à políciapor funcionários da prefeitura local. Ana Ruth Matos de Carvalho, 18 anos, Dayse Kelle Santana de Barros, 21, e Scheila Santos Silva, 30, foram levadas para a 5ª Delegacia Metropolitana (Cj. João Alves), onde prestaram depoimento. Elas poderão responder na Justiça por crimes eleitorais de propaganda eleitoral antecipada, difamação e calúnia.
O caso acendeu uma guerra de acusações entre os partidários de Fábio Henrique, que é candidato à reeleição, e do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), candidato de oposição no município, a quem é atribuída a confecção e a distribuição dos panfletos. Durante todo o dia, Bezerra negou envolvimento com o episódio e acusou os funcionários de se passarem por policiais para prejudicar seu nome. Os advogados dos dois candidatos também trocaram acusações e anunciaram que vão mover processos e representações um contra o outro.
Os cerca de mil panfletos encontrados com as mulheres foram apreendidos e encaminhados à PF, junto com o registro da ocorrência e os depoimentos. Cada  panfleto trazia a frase "Você tem 12 motivos para não votar em um mentiroso", seguida de 12 itens que criticavam Fábio - mesmo sem citar seu nome - a partir de promessas supostamente não cumpridas pelo gestor de Socorro, nas áreas de saúde, educação, transporte, emprego, valorização dos servidores e o programa "Lama Zero", voltado para o calçamento de ruas. O número 12 é alusivo ao partido do candidato, o PDT. No final do panfleto, outra frase atacava o prefeito: "Se você quiser, tem muita coisa a perguntar a esse enganador que pede outra chance...". O conteúdo foi considerado ofensivo e não trazia nenhuma identificação.
A versão de Fábio - Na versão apresentada pelos partidários de Fábio Henrique, Ana Ruth, Deise e Sheila foram vistas por Henrique Matos, secretário municipal de Comunicação, entregando os panfletos a pessoas que passavam pelas avenidas I e Nossa Senhora do Socorro, no Cj. João Alves. Este, então, passou a fotografar a entrega dos panfletos e avisou a polícia, pedindo a presença de uma viatura no local. A assessoria do candidato afirmou ainda que três homens ligados ao Democratas, partido de Augusto Bezerra, estiveram no local para dar apoio às três acusadas.  
"Enquanto aguardavam a chegada da polícia, um veículo Palio, de placa HZS-5258, parou na esquina e dele desceram três pessoas: Babau Aragão, que é marido da ex-vereadora Luzinete de Lima; o advogado Emanuel Lima (ligado ao DEM), e o pai de uma das jovens envolvidas. As fotografias e as filmagens comprovam a relação existente entre as jovens flagradas e os membros ligados ao partido Democratas, que fará oposição a Fábio Henrique", afirma uma nota divulgada pela assessoria do pedetista. Ela alegou ainda que as mulheres teriam admitido que foram contratadas por 'Babau' para panfletar o material, sem saber que estariam cometendo algum crime.

A versão de Augusto -Já o deputado estadual rebateu as acusações, afirmando ser vítima de uma armadilha preparada pelos adversários. Ouvido por emissoras de rádio, Bezerra disse que as três mulheres foram detidas ilegalmente por três pessoas ligadas ao prefeito de Socorro: Henrique Matos, o advogado Fausto Leite (ligado ao PDT) e o diretor administrativo da Secom municipal, Rodrigo Paixão, os quais, segundo o candidato democrata, teriam dado "voz de prisão" às acusadas. "Já ficou provado que as meninas foram detidas ilegalmente, que tentaram arrancar informações que ligassem a mim. As famílias das garotas prestaram Boletim de Ocorrência na manhã desta terça-feira, porque elas foram detidas ilegalmente e constrangidas", disse ele.
Augusto também foi enfático ao negar que tenha mandado confeccionar os panfletos e disse que as críticas dele contra Fábio Henrique sempre foram feitas abertamente, em pronunciamentos na Assembleia Legislativa ou em entrevistas à imprensa. E esclareceu que, dos três homens citados por Henrique, conhece apenas 'Babau Aragão'. "Quero deixar claro a minha posição de respeito como pré-candidato à Prefeitura de Socorro e que eles estão montando farsas com meu nome. Posso afirmar com certeza que não tenho nada com esse episódio. Conheço o marido da ex-vereadora que é do nosso partido, mas as outras pessoas não. Faço política há vários anos e não iria me envolver ou estimular uma ação como esta", declarou Bezerra.
O advogado Fausto Leite, do PDT, negou as afirmações do deputado e informou que vai processá-lo por calúnia, injúria e difamação. Já o advogado Leonardo Moura, do DEM, diz que vai denunciar o caso à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e ao Ministério Público Eleitoral (MPE), para que sejam apurados os crimes de tortura, ameaça e usurpação de função pública.