XIV Encontro Regional de Estudantes da 3ª idade

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/09/2013 às 02:46:00

No decorrer dos últimos anos, as universidades brasileiras têm mostrado uma grande preocupação com o envelhecimento populacional. Tal contexto decorre, basicamente, das alterações demográficas dos últimos 30 anos. Até 1970, o Brasil possuía uma população majoritariamente jovem, com cerca de 52% de pessoas com menos de 20 anos de idade.

Era o país da juventude. As projeções estatísticas apontaram para um final de século demograficamente com um declínio acentuado da fecundidade e da mortalidade e, simultaneamente, o aumento da esperança de vida, mesmo em regiões pobres. A situação hoje é de um país em franco processo de envelhecimento populacional, constituído por uma sociedade vivendo cada vez mais.

O que podemos observar na contemporaneidade é que o envelhecimento apresenta-se como um fato relevante e irreversível a nível mundial. Entretanto, as repercussões desse processo, ainda não  estão bem avaliadas no Brasil. Além de extrapolar a configuração individual e particular, alcançam a esfera da vida familiar, do mercado de trabalho, das políticas públicas e sociais como  a  educação, da  justiça, da religião, da saúde, da assistência e previdência, do transporte e outros, , alterando os valores e concepções de vida.

Por isso, tal contexto tem despertado o interesse especial nas universidades, acadêmicos, pesquisadores e profissionais das mais diferentes áreas.  Neste âmbito tem-se o aparecimento das Universidades Abertas da Terceira Idade - UNATI'S, que surgem com a finalidade de contribuir para a inserção  de pessoas idosas  no contexto universitário, por meio de projetos de extensão desenvolvidos nas universidades públicas brasileiras.  É neste âmbito que podemos situar o Núcleo de Pesquisas e Ações da Terceira Idade - NUPATI, que abriga o projeto UNATISE, instalado na Universidade Federal de Sergipe, que desde 1998 promove atividades de ensino, pesquisa e extensão voltadas para a população idosa do estado.  

As ações desenvolvidas na Universidade Federal de Sergipe, através do Núcleo de Pesquisas e Ações da Terceira Idade/NUPATI, vêm demonstrando o compromisso e respeito aos longevos, que se tornou o segmento populacional que mais cresce no país, conforme os últimos censos demográficos do IBGE, procurando trabalhar em conformidade com as Leis 8.842/1994 (Política Nacional do Idoso) e 10.741/2003 (Estatuto do Idoso), a demonstração desse pensar e desse agir sobre o envelhecimento humano tem sido retratados nos cursos, encontros e eventos realizados. Nessa linha de pensamento o NUPATI/UFS, que em 2013 completa 15 anos de atividades de ensino, pesquisa e extensão estará realizando a XIV versão do Encontro Estadual da Terceira Idade, formulando o convite não só para participação dos idosos como ouvintes, mas, sobretudo, como protagonistas das atividades que farão parte da programação.

O objetivo do evento, que versa sobre o tema "Envelhecimento, Família e Sociedades: aprendendo e reaprendendo os papéis e as relações", é refletir sobre a inclusão social do idoso à luz das teorias sócio-políticas e educativas. O evento é destinado a pessoas da terceira idade,  estudantes da graduação e da pós-graduação, professores, profissionais e pesquisadores, desenvolvendo a programação de cunho científico, cultural e artístico.  Além disso, o XIV Encontro Regional da Terceira Idade buscará inscrever  trabalhos científicos com eixos temáticos sobre o envelhecimento humano, bem como a publicação dos anais, e a produção de vídeo-documentário do evento. A proposta buscará envolver as UNATI´s do Nordeste e/ou programas e projetos para terceira idade em âmbito local, regional e nacional, com a finalidade de fortalecimento de intercâmbio sobre tal temática.