População apoia Mais Médicos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Autorretrato de Jenner Augusto.  Forte influência de Portinari
Autorretrato de Jenner Augusto. Forte influência de Portinari

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/09/2013 às 03:09:00

A maioria da população brasileira é favorável à contratação de médicos estrangeiros por meio do Programa Mais Médicos. Pesquisa divulgada ontem pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) revela que 73,9% dos entrevistados apoiam o programa.  
Os dados revelam que 49,6% dos entrevistados acreditam que o programa solucionará problemas graves relacionados à saúde no país. Para 34,7% dos entrevistados, o serviço vai melhorar nos próximos seis meses.
A pesquisa da CNT aponta que os índices de aprovação do Programa Mais Médicos contribuíram para a recuperação da popularidade da presidenta Dilma Rousseff e do governo que, em julho, tiveram índices mais baixos.

Aprovação de Dilma - A mesma pesquisa mostra que o governo da presidenta Dilma Rousseff tem a aprovação de 38,1% da população. Na última pesquisa da CNT, em julho, o governo teve avaliação positiva de 31,3% da população, o que mostra um aumento de 6,8 pontos percentuais - ainda que inferior aos 54,2% de aprovação divulgados em junho. A avaliação negativa do governo chega a 21,9% dos entrevistados.
De acordo com a mesma pesquisa, Dilma venceria tanto o primeiro turno quanto um possível segundo turno - com 36,4% e 40,7% das intenções de voto, respectivamente.
O desempenho pessoal da presidenta foi avaliado como positivo por 58% dos entrevistados. O dado mostra aumento da aprovação de Dilma, que tinha avaliação pessoal em 49,3% na última pesquisa.
No total, 40,5% das pessoas desaprovam a gestão de Dilma. Em julho, o percentual era 47,3%; em junho, 20,4%.

Eleições - Ainda segundo a pesquisa, a presidenta Dilma Rousseff tem 16% da intenção espontânea de voto, no caso de uma possível candidatura para as eleições presidenciais de 2014, segundo pesquisa divulgada hoje (10) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Na pesquisa anterior da CNT, em julho, Dilma tinha 14,8% das intenções de voto - 1,2 pontos percentuais a menos, no caso de uma possível candidatura, quando não são apresentadas opções de candidatos.
Em segundo lugar, os entrevistados espontaneamente citam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (9,7%), Marina Silva (5,8%), Aécio Neves (4,7%), Eduardo Campos (1,6%), José Serra (1%), Geraldo Alckmin (0,5%) e Joaquim Barbosa (0,5%).
Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes de possíveis candidatos para primeiro turno, a presidenta Dilma tem 36,4% da intenção de voto. Na última pesquisa, o percentual era 33,4%. Em junho, a intenção chegava a 52,8%. Nesse cenário, Marina Silva tem 22,4% da intenção de voto, Aécio Neves, 15,2%, e Eduardo Campos, 5,2%.
Em um possível segundo turno, a presidenta Dilma tem 40,7% das intenções de voto, contra Marina Silva, com 31,9%.
Nesta edição da pesquisa foram entrevistadas 2.002 mil pessoas, em 135 municípios de 21 estados, entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro. (Com Agência Brasil)

Plenária
O senador Eduardo Amorim (PSC) e o seu irmão, Edvan Amorim (PTB), pretendem realizar no próximo dia 27 uma conferência com a presença de dirigentes nacionais dos 14 partidos que eles controlam no Estado. Nos últimos dias, o grupo reconquistou o comando do PTB, afastando o deputado federal Almeida Lima, e no final da semana passada assumiram o nanico PTdoB, até então controlado pelo empresário Clóvis Silveira. O partido agora será presidido pelo deputado estadual Paulinho da Varzinhas, que já era do grupo.

Proposta
Ontem de manhã, nos programas de rádio, Clóvis Silveira disse que teria recebido uma "proposta safada" da direção do PTdoB para poder continuar na legenda, mas não teria aceitado. Ele também recusa-se a dizer que proposta seria essa, alegando não ter como provar. Mas promete trocar de legenda juntamente com a maioria dos atuais filiados do partido, a tempo de ficar apto a disputar as eleições do próximo ano.

Animados
Partidários do senador Eduardo estão entusiasmados e anunciam que até o dia 5 de outubro, prazo final para a troca de legendas, vão conquistar pelo menos mais um partido e vão ampliar o quadro de filiados para a montagem de diversas chapas competitivas, tanto para a Assembleia Legislativa quando para a Câmara Federal.
Voto aberto
Deve ser protocolado até esta quinta-feira na Assembleia Legislativa o Projeto de Resolução que acaba definitivamente com todas as votações secretas em plenário. De autoria do deputado estadual Francisco Gualberto (PT), o projeto deverá ser subscrito pelos demais 23 parlamentares da Casa que já declararam seu apoio à ideia do petista. Atualmente, as votações secretas acontecem em casos de cassação de mandatos, escolha de conselheiro do Tribunal de Contas, eleição da Mesa Diretora e apreciação de veto governamental. "Quem tem que preservar o voto secreto é o eleitor, pois corre o risco de sofrer algum tipo de assédio ou perseguição. Nós, que somos eleitos para representar esse eleitor, não devemos jamais esconder voto algum", justifica Gualberto.

Na gaveta
Alguns poucos professores ligados ao Sintese têm acompanhado com frequência as sessões na Assembleia Legislativa na esperança de ver na pauta de votação o Projeto de Lei do Executivo que garante o reajuste salarial de 7,97% sobre o piso do magistério. Só que até agora o referido projeto permanece na gaveta porque o Governo do Estado ainda não enviou à Casa uma tabela cobrada pelos deputados, a qual destrincha caso a caso o pagamento para os diversos níveis de professores. "Sem a tabela não temos condições de apreciar o projeto e muito menos de votar com segurança", queixa-se a deputada Ana Lúcia (PT).

Audiência
Depois de ter marcado duas audiências entre o prefeito João Alves Filho (DEM) e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, sem que o prefeito comparecesse, o deputado federal Rogério Carvalho (PT) desistiu. Ontem João seria atendido por Padilha, mas em encontro solicitado pelo senador Eduardo Amorim. "João é muito desleal na sua relação política", reclama o deputado, que aponta o senador Valadares (PSB) como testemunha dos encontros marcados. "Além disso eu ainda intermediei a conversa entre a secretária Municipal de Saúde, Goretti Reis, falei pessoalmente com ela por telefone, passei os números da secretária do ministro", diz Rogério.

Confiante
Relator da comissão especial que analisa a MP que cria o programa Mais Médicos, Rogério passa os dias úteis em Brasília em audiências públicas discutindo o projeto, mas não se descuida da disputa pelo comando do diretório estadual do PT na eleição direta marcada para o dia 10 de novembro. Ele pretende apresentar o relatório sobre a MP até o dia 18 de setembro, encaminhar sua votação na comissão e reforçar a agenda em Sergipe.

Eleitores
Cerca de 11.800 filiados estão aptos a participar da votação direta para a escolha do diretório estadual do PT, sendo 2.178 somente em Aracaju. Estes são os filiados que estão quites com a contribuição financeira do partido. Além de Rogério, disputam o deputado Márcio Macedo, também da corrente CNB, e a deputada estadual Ana Lúcia, de Articulação de Esquerda. No processo eleitoral serão realizados diversos debates.

Poço
O ex-deputado Jorge Araújo (PSD) segue em campanha para que o município de Poço Redondo abrigue a sede do Campus do Sertão da Universidade Federal de Sergipe, com cursos voltados para a área agrícola. "Poço Redondo tem a maior extensão territorial do Estado de Sergipe, o menor IDH e faz fronteira com os Estados de Alagoas e Bahia. A economia de Nossa Senhora da Glória, município que disputa a sede com Poço, já está consolidada", entende Jorge.

Moção
Ontem a Câmara Municipal de Poço Redondo aprovou moções fazendo apelo ao ministro da Educação, Fernando Haddad, e ao reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, para que o campus seja instalado no município. "Poço Redondo já possui até o prédio da Escola Agrotécnica, que se adapta bem para ser a nova sede da UFS", reforça Jorge Araújo.

Univasf
Já a deputada Ana Lúcia apresentou nesta segunda-feira, 9, um requerimento de apelo pela implantação de um campus da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) na região do Sertão do Rio Real. A unidade de ensino beneficiará mais de 170 mil habitantes da região que engloba, entre outros municípios sergipanos, as cidades de Tobias Barreto, Poço Verde, Cristinápolis, Tomar do Geru e Itabaianinha.

Tramitação
O requerimento, que está tramitando na Alese, será encaminhado pela mesa diretora da casa legislativa estadual à presidenta Dilma Rousseff e ao ministro da Educação, Aloisio Mercadante, como forma de reiterar a solicitação e os esforços empenhados pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA). Caso a cidade escolhida para receber o campus da universidade seja Tobias Barreto, serão beneficiados jovens de diversos municípios do sertão baiano, a exemplo de Ribeira do Amparo, Itapicuru, Olindina e Rio Real. Desta forma, o número de pessoas beneficiadas seria ampliado para mais de 200 mil.