Henri Clay desiste e Vera disputa PMA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Ao lado de vera e outros candidatos, Henri Clay explica razões da desistência.
Ao lado de vera e outros candidatos, Henri Clay explica razões da desistência.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/06/2012 às 11:50:00

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br


O advogado Henri Clay Andrade não será mais o pré-candidato a prefeito de Aracaju pela Frente de Esquerda, formada pelo PSTU/PSOL e PCB. O comunicado da sua desistência foi feito na tarde de ontem no auditório do Sindipetro. "É um processo politico histórico, de alta relevância e importância, mas existem outros valores como a família e a amizade que pra mim acabaram prevalecendo", justificou.

Henri Clay disse que a sua desistência deve-se ao apelo da família. "Há dois dias cheguei a aceitar o desafio de ser candidato a prefeito de Aracaju dentro desse processo, mas ontem (quarta-feira) à noite tive um apelo muito forte da minha família pedindo que desistisse da candidatura, e os valores da família e da amizade prevaleceram", contou, emocionado.
Com a desistência de Henri Clay, Vera Lúcia (PSTU) será a candidata a prefeita e  Vinicius Oliveira (PSOL) a vice. Os candidatos a vereadores são: Leonardo Dias (PCB); Alexis Azevedo (PSOL); Maria de Lourdes (PSTU); Dalvacir Azevedo (PSOL); e Edvaldo Leandro (PSTU).

Marco - Para Henri Clay, a formação da Frente de Esquerda em Sergipe é um marco histórico para Aracaju, para Sergipe e para o Brasil, sendo hoje uma referencia nacional e motivo de debates internos entre os partidos de esquerda, buscando estabelecer uma nova politica, para dizer aos jovens que é possível fazer politica com seriedade.

Segundo ele, Aracaju deve ser a única capital brasileira onde os três partidos marcharam unidos em uma única candidatura.
"Continuo inserido no processo eleitoral sendo um dos coordenadores da campanha na frente por entendermos que ninguém é imprescindível e, como não se tratava de candidatura individual, mas de um projeto coletivo, ele se mantém sendo representado por outras pessoas", avalia Henri Clay