Curso de Campo em Ecologia da Caatinga

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/09/2013 às 03:09:00

A biodiversidade encontrada na Unidade de Conservação do Monumento Natural Grota do Angico tem motivado o ingresso de dezenas de pesquisadores por toda a sua extensão de pura Caatinga, que compreende 2.183 hectares. Nesses seis anos de sua criação, vários acadêmicos de universidades federais do país e de Sergipe, e alunos de escolas públicas do Estado estiveram pesquisando e conhecendo um pouco mais, na prática, sobre a importância do único bioma genuinamente brasileiro.

Desta vez, a UC do Angico abre espaço para a realização do VI Curso de Campo em Ecologia da Caatinga. O curso faz parte de um conjunto de disciplinas oferecidas pelo Núcleo de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Universidade Federal de Sergipe (UFS) encerrando na próxima segunda-feira, 30. Conta com a participação de sete alunos.

De acordo com o professor doutor Leandro Souto, do Departamento de Ecologia da Universidade Federal de Sergipe, o objetivo do curso é fazer com que os alunos vivenciem práticas de diagnóstico ambiental, práticas de conservação, por meio da análise experimental.
"Esse curso fará com que eles tenham essa vivência de quais organismos podem ser usados como bioindicadores, que tipo de informações ecológicas podemos tirar para a conservação da unidade de conservação", disse.

O curso que se encontra em sua sexta edição irá capacitar os acadêmicos em práticas de campo, observando padrões e testando hipóteses ecológicas no bioma Caatinga.
"Com essa aula, todos, poderão desenvolver ainda pesquisas contribuindo para o avanço do conhecimento em conservação do bioma", comenta o coordenador do Monumento Natural Grota do Angico, Tiago Vieira.