Grupos de risco podem se vacinar contra gripe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2012 às 10:12:00

 

Agora é vez de hipertensos, diabéticos, grupo de pessoas que sofrem de doenças cardíacas (cardiopatias) ou que sofrem de doença pulmonar crônica (pneumopatias) receberem a dose da vacina contra a gripe nas Unidades de Saúde da Família (USF) de Aracaju. Seguindo as recomendações passadas pelo Ministério da Saúde (MS) e pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Município de Aracaju está imunizando os grupos citados acima até esta sexta-feira, dia 15, ou, enquanto durar o estoque. 
Conforme a referência técnica da imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Débora Moura, para que pessoas dos novos grupos possam tomar a vacina é necessário apresentar no ato da vacinação o relatório ou a solicitação do médico. 
"Como alguns usuários podem vir a apresentar quadros em que a vacina seja contra indicada, como alergia a ovo, febre, deficiência na produção de anticorpos, a avaliação prévia dada pelo médico da pessoa é fundamental. Assim podemos prevenir para que o paciente não tenha reação após a vacina, gozando do pleno bem estar", destaca. Ela acrescenta que a vacina é segura e protege contra os três principais vírus que circulam no Hemisfério Sul, entre eles, o influenza A (H1N1).

Agora é vez de hipertensos, diabéticos, grupo de pessoas que sofrem de doenças cardíacas (cardiopatias) ou que sofrem de doença pulmonar crônica (pneumopatias) receberem a dose da vacina contra a gripe nas Unidades de Saúde da Família (USF) de Aracaju.

Seguindo as recomendações passadas pelo Ministério da Saúde (MS) e pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Município de Aracaju está imunizando os grupos citados acima até esta sexta-feira, dia 15, ou, enquanto durar o estoque.

 Conforme a referência técnica da imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Débora Moura, para que pessoas dos novos grupos possam tomar a vacina é necessário apresentar no ato da vacinação o relatório ou a solicitação do médico. "Como alguns usuários podem vir a apresentar quadros em que a vacina seja contra indicada, como alergia a ovo, febre, deficiência na produção de anticorpos, a avaliação prévia dada pelo médico da pessoa é fundamental.

Assim podemos prevenir para que o paciente não tenha reação após a vacina, gozando do pleno bem estar", destaca. Ela acrescenta que a vacina é segura e protege contra os três principais vírus que circulam no Hemisfério Sul, entre eles, o influenza A (H1N1).