Comerciantes pessimistas com vendas do Dia das Crianças

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/10/2013 às 13:13:00

Durante todo o dia de ontem os aracajuanos que deixaram as compras alusivas ao Dia das Crianças para última hora tiveram que enfrentar chuva, rajadas de vento e longas filas nos estabelecimentos comerciais instalados no Centro e shoppings da capital sergipana. Nos calçadões das ruas Laranjeiras, São Cristóvão e João Pessoa, os vendedores mostraram-se entusiasmados com a presença dos consumidores que haviam 'sumido' durante os 21 dias de greve dos bancários. Conforme cálculos apresentados pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), em decorrência da paralisação bancária e aumento da inflação, a perspectiva é que o comércio apresente um crescimento de apenas 4% em todos os seguimentos infantis.

Com a permanência da greve dos bancários de instituições particulares, os empresários alegam que o lucro esse ano pode ser um dos mais inferiores dos últimos oito anos. Para Nelson Moraes, proprietário de uma loja de calçados, apesar de o Banese ter entrado em acordo com os servidores no meio da semana, é quase impossível registrar boas vendas nesse Dia das Crianças. "É o banco que mais aceitamos parcelamentos e que os nossos clientes preferem na hora de efetuar uma compra, mas outras pessoas também preferem, ou só tem conta nesses que até a tarde de ontem ainda estava em greve", afirmou. No mesmo período do ano passado, a CDL registrou um crescimento de 8% nas vendas se comparado ao ano de 2011.

Em decorrência do aumento no número de clientes, desde a ultima quinta-feira, 10, alguns estabelecimentos estão permanecendo de portas abertas uma hora além do horário normal de comércio. A meta dos vendedores é dialogar com os clientes e não perder venda. Descontos de até 30% já estão disponíveis desde a manhã de ontem. Segundo a comerciante Danielle Santana, essa foi a única forma encontrada para que os lojistas não registrassem prejuízos. "E essa ainda não é uma total garantia que não vamos ter grandes perdas. Por esse e outros motivos já estamos dando descontos especiais, inclusive nos brinquedos com preços abaixo de R$ 100. O que nos resta agora é torcer para que a chuva nesse sábado possa dar uma trégua", declarou.

O Governo Federal anunciou essa semana que em setembro a inflação oficial do país ficou em 0,35%, após subir 0,24% em agosto. A desagradável surpresa das vendas do varejo nesse período incomodou inclusive o presidente da Câmara de Lojistas, Samuel Schuster. "Até os estabelecimentos comerciais de artigos católicos estão sentindo os efeitos da inflação e greve dos bancários. Percebo que os empresários estão trabalhando duro para que a economia do estado não seja tão prejudicada por esses dois motivos que acabei de citar e que avalio como os pivores desse desaceleramento", afirmou. Ainda em entrevista concedida ao Jornal do Dia Shuster pontuou:
"A boa noticia do dia é que os demais bancos que estavam em greve decidiram entrar em acordo coletivo com os servidores. Vamos rezar para que as lojas amanhã (hoje) fiquem lotadas. Antes tarde do que nunca". Conforme anunciado por alguns gerentes de loja do centro de Aracaju, alguns estabelecimentos, em especial os de artigo infantil, vão abrir as portas às 8h e devem seguir recepcionando os clientes até às 14h.