Lojistas e Bombeiros analisam ações preventivas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/10/2013 às 03:12:00

Cândida Oliveira
 candidaoliveira@jornaldodiase.com.br

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL) e o Corpo de Bombeiros se reúnem amanhã, 24, para discutirem ações preventivas que possam evitar ocorrências como o incêndio registrado no dia 12 de outubro na rua Apulcro Mota, no trecho próximo a rua Santa Rosa, no Centro de Aracaju.

A reunião está marcada para as 15h na sede do Corpo de Bombeiros e tem como objetivo estabelecer medidas preventivas e orientar os comerciantes sobre os padrões para uso dos prédios que apresentam problemas relacionados à rede de energia elétrica. A partir das discussões, a intenção é fazer o mapeamento da área para identificar as irregularidades e propor as adequações necessárias de acordo com os critérios de segurança.

De acordo com Samuel Schuster, presidente da CDL, os lojistas agendaram a reunião como uma fora de buscarem uma orientação sobre medidas de segurança contra incêndio e pânico com foco nas atividades comerciais desenvolvidas no Centro da cidade.

Entre as ações desenvolvidas pelo Corpo de Bombeiros estão a análise de projetos, vistoria de edificações e concessão do Auto de Vistoria que integram as normas de segurança adotadas pela corporação para manter a integridade das pessoas e seus bens, através de ações preventivas contra incêndio e pânico.
"O objetivo da reunião é buscar uma orientação junto ao Corpo de Bombeiros sobre a situação da área e cobrar também fiscalização. Após a reunião, avaliaremos a necessidade de outra oportunidade para discutirmos o assunto com a Energisa, CREA, Defesa Civil e outros atores", informa Samuel Schuster.  

Os primeiros levantamentos sobre o incêndio ocorrido no dia 12 apontam que o mesmo tenha sido provocado por um comprometimento da estrutura elétrica. O incêndio destruiu a loja Companhia do Sono e afetou outros estabelecimentos comerciais vizinhos. Apenas a Companhia do Sono está interditada e há riscos de desabamento de paredes internas, segundo informou o coronel Reginaldo Dória, diretor operacional do Corpo de Bombeiros.

A área abriga um diversificado comércio e por onde passam centenas de pessoas todos os dias, o que preocupa a CDL, que está buscando providências junto aos órgãos de segurança. Segundo informações da diretoria do CDL, a fiação de grande parte das lojas é bem antiga.
Outra preocupação da entidade é que muitos comerciantes sobrecarregam a parte elétrica das lojas com letreiros e outros equipamentos sem uma devida orientação dos órgãos responsáveis. Um exemplo disso é o fato de muitos comerciantes ampliarem a rede interna da loja sem aumentar a carga, o que acaba prejudicando toda a rede.
Pelas normas de segurança, a rede elétrica deve passar por manutenção pelo menos a cada dez anos.

Entretanto, existem estabelecimentos comerciais antigos que nunca passaram por revisão na parte elétrica. Por causa desta situação, muitos comerciantes da rua Santa Rosa e adjacências temem novos focos de incêndio na região e solicitam dos órgãos competentes fiscalização rigorosa sobre a qualidade da fiação da rede de energia elétrica.

As informações são que alguns comerciantes ignoram as providências cobradas pelo Corpo de Bombeiros quanto à desorganização da fiação e que muitos avançaram as fachadas das lojas, aproximando o material de risco à fiação da rede, o que gera possibilidades de incêndios. O laudo sobre a causa do incêndio deve sair na próxima semana.