Almeida diz que Amorim optou pelo lixo da história

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Almeida Lima ataca os adversários
Almeida Lima ataca os adversários

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/07/2012 às 02:59:00

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br

"Eu dei uma oportunidade para eles, mas eles preferiram voltar para o lixo de história", afirmou o deputado federal e candidato à prefeitura de Aracaju pelo PPS Almeida Lima, referindo-se aos irmãos Amorim, com quem tentou fazer uma aliança política que acabou frustrada pela decisão do PSC de apoiar o candidato a prefeito do DEM, ex-governador João Alves, nas eleições de outubro.
Para Almeida, que até a  noite de sexta-feira, 29, tinha praticamente fechado o acordo com Edvan e Eduardo Amorim, "o fato me surpreendeu, mas é vergonhoso para eles (os Amorim),  que foram chamados de corruptos por pessoas do grupo do ex-governador João Alves Filho, e depois foram atrás de João para fazer aliança".
Segundo Almeida, o grupo dos irmãos Amorim não faz acordo politico, faz negócios. "Eu me declarei pré-candidato em agosto do ano passado, e quem faz negocio não age com a transparência que eu ajo, age na calada da noite", disse, lembrando que em agosto do ano passado já avisava que não faria acordo nem com o ex-governador João Alves e nem com o governo de Marcelo Déda (PT).
Almeida disse que em nenhum momento viu o grupo do ex-governador João Alves pedir o apoio aos Amorim e foi os Amorim que foram buscar dar apoio ao ex-governador.
Governo e TCE- Almeida adverte que quem votar em João Alves para prefeito não vai eleger João Alves para a Prefeitura de Aracaju. Para ele, o plano do ex-governador é se eleger governador em 2014 e colocar José Carlos  Machado (candidato a vice-prefeito) no Tribunal de Contas no ano que vem, com o apoio da bancada do PSC na Assembléia Legislativa (a quem cabe escolher o próximo conselheiro do TCE).
Ainda de acordo com Almeida, esse é o mesmo  plano  do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que se preocupa com o governo em 2014. "Essa é uma afirmativa minha e ele (Valadares) não precisa de permissão de ninguém para ser candidato ao governo em 2014".(Com Eduardo Almeida)