As raízes civilizatórias da China no TTB.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Acrobacia, dança e música em 11 atos sobre a Eterna Fortuna na Montanha Sagrada
Acrobacia, dança e música em 11 atos sobre a Eterna Fortuna na Montanha Sagrada

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/11/2013 às 17:40:00

Destaque dos eventos em comemoração ao Mês Cultural da China no Brasil, o espetáculo "FU YONG - A Eterna Fortuna na Montanha Sagrada" estreou no Rio de Janeiro em 1° de novembro de 2013 e, desde então, segue turnê pelo Brasil, passando por diversas capitais. Resultado de uma parceria entre o San Xia Acrobatic Art Troupe e o Chongqing (Qianjiang) Ethnic Song and Dance Troupe, o espetáculo traz acrobacia, dança e música em 11 atos que contam a lenda da Eterna Fortuna na Montanha Sagrada.

O espetáculo aborda ainda, de forma mística, temas da vida cotidiana do povo Miao, a quinta mais populosa das 56 etnias oficialmente reconhecidas pela República da China. Assim, a relação entre passado e futuro, família e indivíduo, amor e casamento, nascimento, morte e o reencontro no Paraíso proporcionam ao espectador uma experiência reveladora das raízes civilizatórias chinesas.

Outro aspecto de destaque na apresentação é a relação do Homem com a natureza ao seu redor. Os 37 artistas (21 dançarinos, 7 cantores e 9 acrobatas) exibem performances acrobáticas de alta precisão mescladas com danças tradicionais, ritos religiosos e ritmos mitológicos que desvendarão toda a lendária cultura chinesa.

A apresentação é uma criação do renomado diretor Deng Lin considerado o arauto do realismo poético chinês no campo da acrobacia e danças coreográficas. Especialmente para o Mês Cultural da China no Brasil foi criada uma nova versão da obra, em parceria e sob a supervisão dos diretores Gao Sen e Jiang Xiaoping.
"China tem uma forte ligação com suas histórias originais e culturais, sempre embebidas no misticismo, assim como o Brasil. Entretanto, apesar das raízes continuarem vivas, como a Montanha Sagrada e o Sol, as origens correm perigo a medida que o mundo busca um desenvolvimento cada vez mais rápido e agressivo. As futuras gerações podem perder a conexão com seus verdadeiros alicerces. Nosso trabalho está focado justamente no movimento inverso: o da preservação e valorização das tradições. Acreditamos portanto que o senso comum poderá se identificar com os nossos objetivos".

O Mês Cultural da China no Brasil é uma iniciativa dos Ministérios da Cultura do Brasil e da China, capitaneada pela Embaixada da China no Brasil. "Para a Embaixada da China é uma grande honra apresentar para o público brasileiro um espetáculo que mostra a essência das nossas tradições milenares" declara Sr. Zheng Kejun, Conselheiro Cultural da Embaixada da China.

A turnê conta com apoio do Ministério da Cultura, patrocínio master da State Grid Brazil Holding e patrocínio da E M S Pharma.

Os diretores -  Deng Lin é um dos mais prestigiados coreógrafos de dança da China e ocupa hoje o cargo de diretor da Central Nacional de Grupos de Dança e Música chinesas. Responsável pela criação de mais de 300 produções de dança, incluindo balés tradicionais, danças modernas e de gala, colaborou com os mundialmente famosos bailarinos chineses, Yang Liping e Huang Doudou, em muitas de suas obras-primas.

Porém sua marca registrada é a produção de performances voltadas para o resgate das tradições culturais das minorias étnicas. Considerado como o arauto do realismo poético chinês no campo da acrobacia coreográfica, Deng Lin se dedica a explorar e conhecer todas as minorias étnicas da China, mantendo sempre o frescor e o encantamento de suas raízes, expressando em suas produções, de forma genuína, as tradições culturais dos povos chineses.

Gao Sen é o Diretor Geral da Chongqing (Qianjiang) Ethnic Song and Dance Troupe e um dos principais coreógrafos do Sudoeste da China. Sua carreira é pontuada por medalhas de ouro e mais de 20 prêmios em competições nacionais de dança.

Jiang Xiaoping é o Diretor Artístico do Chongqing (Qianjiang) Ethnic Song and Dance Troupe. Figura de destaque dentro das estruturas culturais do país, Xiaoping, é ainda um dos cantores folclóricos mais conhecidos da China. Ocupou relevantes papéis institucionais em 2008 durante a Cerimônia de Abertura das Olimpíadas de Beijing e também na Expo de Shanhai em 2010.