Oscar para Gloria Pires?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
MODESTA, A ATRIZ DIZ NÃO ALIMENTAR EXPECTATIVAS
MODESTA, A ATRIZ DIZ NÃO ALIMENTAR EXPECTATIVAS

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/12/2013 às 00:48:00

A revista Gente escolheu a atriz Gloria Pires como a Personalidade do Ano de 2013. Nada mais justo em se considerando que, com o filme "Flores Raras", ela celebra seus 35 anos de carreira (começou com 5 aninhos, em 1969, na novela "A Pequena Órfã", na extinta TV Excelsior) e hoje, aos 50 anos, segundo prognósticos da citada revista, ao atuar em inglês, vem impressionando críticos em todo o mundo e está sendo apontada como uma das possíveis indicações ao Oscar de melhor atriz. O diretor do longa, Bruno Barreto, está confiante, claro, mas é bom não ir com tanta sede ao pote. Afinal, a lista dos indicados só sairá no início do próximo ano e até lá muitas águas irão rolar por debaixo da ponte. Ou não?
A talentosa atriz não alimenta expectativas, contrastando com Aguinaldo Silva, que diz em seu twitter: "A nomeação de Gloria será mais que justa. Ela é a maior atriz de sua geração e uma das maiores do Brasil". Não há como discordar disso, mas será que os membros da Academia sabem realmente o significado da palavra JUSTIÇA? Ainda está na lembrança de todos nós, brasileiros, a maldade inominável que cometeram contra Fernanda Montenegro, que seria imbatível com o seu antológico desempenho em "Central do Brasil".

Sendo assim, acho o prognóstico da revista Gente bem intencionado, mas otimista em excesso, mesmo em se considerando a genialidade de sua performance em "Flores Raras", com diálogos em inglês. Além disso, o papel que coube a Gloria é dificílimo e polêmico: ela é a arquiteta Lotta, que mantém um relacionamento homo-afetivo com a poeta norte-americana Elizabeth Bishop, idealizadora do Parque do Flamengo (Rio), vivida pela australiana Miranda Otto. Tudo se passa no Brasil, nos anos 1950. Nada de ficção, realidade corajosamente pura. Gloria, gloria, aleluia.... amém! 

Geleia Geral
... O nome do programa é "Café com o Coroné" (TV Aperipê), onde os convidados, junto com o anfitrião, posicionam-se frente à mesa de formato retangular (igual à da Santa Ceia), repleta de iguarias e muito pão francês. Só que tem um detalhe curioso: ninguém come nada. Será que tudo aquilo é comida cenográfica? Dolorosa interrogação.
...A Segrase, responsável pela livraria do Palácio-Museu Olímpio Campos, precisa urgentemente tomar providências para a prestação de contas dos livros de escritores sergipanos que foram postos à venda (em consignação) naquele espaço cultural. Ou não?...
...Até hoje não entendi porque a Funcaju passou a ser denominada Secretaria Especial de Cultura. Afinal de especial aquele órgão não tem nada. Continua com a mesma estrutura viciada das gestões anteriores e sem perspectivas de uma reforma profunda, a começar pela necessária clareza dos contratos com artistas para eventos tipo réveillon, forrocaju e outros babados mais... 

Reciclagem
"Gosto do novo, de reciclar, de fazer o que nunca fiz. Gosto de viver diferente do que já vivi" - Claudia Raia - revista Gente, edição de dezembro/2013.