Educação do Estado recebe nota 4,6 dada pelo Sintese

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Esta foi a nota dada pelos professores ao governo do Estado
Esta foi a nota dada pelos professores ao governo do Estado

Veja os municípios que receberão as melhores  notas (das maiores para as menores)
Veja os municípios que receberão as melhores notas (das maiores para as menores)

Veja os municípios que receberam as piores notas (das menores para as maiores)
Veja os municípios que receberam as piores notas (das menores para as maiores)

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/12/2013 às 00:37:00

A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede oficial do Estado de Sergipe (Sintese) reuniu a imprensa na manhã de ontem, 27, para divulgar a avaliação que os professores fazem sobre a gestão e politicas educacionais empregadas no Estado.  Este ano a coletiva não foi realizada no calçadão do Centro de Aracaju, devido ao falecimento do governador Marcelo Déda.

Os professores da rede estadual deram a nota 4,6 para a gestão educacional feita pelo Governo do Estado ao longo do ano de 2013. Em 2012 o Governo recebeu a nota 2,1, a nota mais baixa destes últimos sete anos. Dentre as regiões de Sergipe, a que melhor avaliou o Governo do Estado, no quesito educação, foi a região metropolitana com a nota 5,9. Por mais um ano Aracaju deu a pior nota ao Governo do Estado: 3,9. No ano de 2012 a maior nota dada ao Governo na gestão da educação foi a da Região Centro-Sul: 4,7. A menor de Aracaju: 1,3.

Os professores tiveram entre os dias 28 de outubro e 6 de dezembro de 2013 para fazer a avaliação. Cinco aspectos foram considerados: Valorização Profissional; gestão democrática; política educacional e a qualidade social do ensino; garantia de direitos do Plano de Carreira e Estatuto; condições de trabalho.
Para cada um destes aspectos os professores puderam dar notas de zero a dois. As notas finais dos gestores municipais e estadual foram obtidas a partir da soma destas cinco notas. Os professores transcreveram suas notas em cédulas que foram depositadas em urnas itinerantes que passaram pelas escolas municipais e estaduais de Sergipe e em demais espaços de trabalho onde havia professores filiados ao Sintese. Ao todo, 175 urnas foram utilizadas para recolher as notas da 'Prova Final'.

A presidente do Sintese, Ângela Maria, disse que em São Cristóvão uma categoria nunca foi tão aviltada no seu fazer pedagógico e na sua valorização. "Os professores tiveram corte de salário, passaram 66 dias em greve, o sindicato precisou ofertar cestas de alimento porque os professores não tinham como comprar, pagar suas dívidas. A prefeita está fechando turmas, turno e escolas. Esperamos que essa nota sirva para que a gestora reflita", pontuou.

Ângela Melo também ressaltou que espera que para o próximo ano possa discutir com o governo não só salário, como também as condições pedagógicas, condições físicas de trabalho, material didático, a gestão democrática, que segundo ela, o diálogo ainda não foi totalmente estabelecido.
Redes municipais - Entre os municípios, o que recebeu a melhor avaliação na gestão da educação foi Siriri, localizado no Vale do Cotinguiba. A política educacional implementada pelo prefeito Gervásio Celestino obteve nota 7,8. O município de Pinhão, localizado no Agreste sergipano, teve a segunda melhor nota. O prefeito Eduardo Marques teve a gestão da educação avaliada com a nota 7,5. Seguido pelo município de Tomar do Geru, localizado no Sul do estado, em que a administração do prefeito Augusto Soares Diniz ganhou a nota 6,4.

O município que recebeu a pior foi São Cristóvão, localizado na região metropolitana. Os professores da quarta cidade mais antiga do país deram nota 0,5 às políticas educacionais promovidas pela prefeita Rivanda Farias. A segunda menor ficou com o município de Malhador, no Agreste do estado. A gestão educacional do prefeito Eliane de Dedé foi avaliada com a nota 1,3.

Os municípios de Cristinápolis, localizado na região Sul, administrado pelo prefeito Padre Raimundo Silva; de Canhoba, localizado na região do Baixo São Francisco, gerido por Naldinha da Farmácia e Porto da Folha, localizado no Alto Sertão, conduzido pelo prefeito Albino Tavares, obtiveram nota 2,0, a terceira pior avaliação.
Dos 74 municípios sergipanos (exceto Aracaju) que participaram da avaliação da gestão da educação nas redes municipais, 21 tiveram nota acima de 5,0. Ao todo, 8.449 professores deram suas notas.