Problema fora da ordem

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/01/2014 às 00:15:00

O governador Jackson Barreto (PMDB) pretendia realizar ainda esta semana a reunião para definir as mudanças a serem adotadas no governo e consolidar a base de apoio, mas foi surpreendido com a crise entre o PT e o PSB, por conta da substituição de Luciano Pimentel da superintendência da Caixa Econômica Federal. O senador Valadares (PSB), partido pelo qual Luciano pretende disputar vaga para a Assembleia Legislativa, reagiu e saiu atacando o deputado João Daniel (PT), que faz denúncias contra a gestão de Pimentel na Assembleia Legislativa, e o presidente estadual do PT, deputado federal Rogério Carvalho.

Jackson passou uma semana de férias e não contava com esse abacaxi logo no início do ano novo. Para agravar, o senador Valadares anunciou que faria uma viagem de férias por duas semanas, atrasando ainda mais os planos do governador em definir logo as novas ações. Mas o tempo talvez acabe sendo bom para que as coisas se acalmem, afinal qualquer entendimento teria que envolver todos os líderes partidários e Valadares e Rogério se enquadram neste sentido.

Jackson não pretendia se limitar a substituição de secretários, mas também propor a redução da máquina do Estado, para ajudar a controlar receita e despesas. O ano de 2013 foi considerado muito difícil do ponto de vista econômico, em função da queda dos repasses federais e, também, pela doença e morte do governador Marcelo Déda (PT) que provocou a divisão do comando do Estado. Há dúvidas em relação à decisão do governador em afastar do cargo agora em janeiro todos os secretários que pretendem disputar as eleições de outubro. Tecnicamente eles podem continuar nas funções até o final de março, mas isso é uma prerrogativa do governador.

Jackson deverá centrar sua gestão nos partidos principais da base - PT, PSB e o PMDB, além do PSD, PCdoB e outros pequenos partidos -, mas terá que fazer nova divisão do bolo. O PT, por exemplo, controla as secretarias da Casa Civil, Desenvolvimento Urbano, Governo, Inclusão Social, Meio Ambiente, Cultura, além de inúmeros outros cargos na máquina administrativa por ser o partido de Déda. A própria Secretaria da Saúde tem administração compartilhada, mas com forte influência do PT desde a passagem no cargo do deputado federal Rogério Carvalho.

Três secretários petistas demonstraram o desejo de deixar o governo - Lúcia Falcón, de Desenvolvimento Urbano; Sílvio Santos, da Casa Civil; e Pedro Lopes, de Governo, que poderá ser deslocado para o comando do escritório de Sergipe em Brasília, função que exercia até o agravamento da saúde de Déda. A ex-primeira-dama Eliane Aquino deverá continuar na Inclusão, enquanto Eloísa Galdino poderá se manter na Cultura, a não ser que a pasta seja extinta na reforma administrativa.
O PSB do senador Valadares é titular das secretarias da Educação, com Belivaldo Chagas; Esporte e Lazer, Maurício Pimentel, e de Turismo, Élber Batalha. Dos três, apenas Élber deverá ser candidato a deputado estadual.

Os partidos aliados também demonstram preocupação com a dimensão que o PMDB quer ter no governo, porque se seguir a ótica nacional vão querer o controle dos principais cargos. No partido do governador, o secretário José Sobral, que atualmente acumula as secretarias de Orçamento e Gestão e da Agricultura, pretende ser candidato a deputado estadual, o que pode limitar a sua participação no governo caso seja mantido o critério de desincompatibilização para o mês de janeiro. O ex-prefeito de Aracaju, João Gama, deverá mesmo ser nomeado para a Casa Civil enquanto o PRB do prefeito de Canindé, Heleno Silva, deverá ficar com a pasta da Agricultura. Benedito de Figueiredo continuará na Justiça.

Outros cargos estratégicos, como Infraestrutura e Segurança Pública não devem passar por maiores disputas políticas, mas não vai faltar quem queira uma direção ou uma função bem remunerada para seus protegidos nos órgãos coligados.

Antes das mudanças, o governador deverá tentar apagar a fogueira para sair sem maiores prejuízos do episódio, porque o objetivo maior - a reeleição em outubro - só pode ser viabilizado com uma boa gestão e rapidez na tomada de decisões. O Estado não pode parar, mesmo com a campanha nas ruas.

União
A nota divulgada pela executiva estadual do PT, na noite de segunda-feira, foi aprovada por unanimidade por representantes de todas as correntes políticas do partido. Inclusive por dirigentes que apoiaram a candidatura a presidente do deputado federal Márcio Macêdo, que foi derrotado por Rogério Carvalho. "PT está unido", ressalta Rogério.

Posição
Rogério Carvalho disse que vai cobrar da direção nacional da Caixa um esclarecimento oficial sobre a mudança no comando da Caixa no Estado. "Em nenhum momento eu estive com a ministra Ideli Salvati ou com a direção da CEF para tratar desse assunto. Nesse período eu estava dividido entre o acompanhamento de uma filha que passou por cirurgia em São Paulo, e o tratamento de meu pai, que acabou falecendo na noite de sexta-feira", ressalta o deputado.

Três candidaturas
Para Rogério, Jackson Barreto deve trabalhar com o cenário de que a disputa se dará entre ele, o senador Eduardo Amorim (PSC) e o prefeito João Alves Filho (DEM). "O único partido grande que já decidiu que não terá candidato a governador foi o PT, que pretende manter a aliança estabelecida pelo governador Marcelo Déda em torno da candidatura de Jackson", ressalta o deputado.

Palanque
Rogério adverte que o senador Valadares não vai ceder para ninguém o direito de comandar em Sergipe a campanha presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). "Neste momento ele começa a mostrar como vai se posicionar e, se houver pressão, ele pode até assumir a candidatura a governador ou se aliar a um dos candidatos que esteja na campanha de Campos", avalia o presidente do PT.

Agenda
O principal compromisso do governador ontem à tarde foi uma audiência com o secretário estadual de Turismo, Élber Batalha, vinculado ao senador Valadares, para anunciar obras de infraestrutura de turismo e a confirmação de que a Seleção da Grécia escolheu mesmo o Estado de Sergipe como centro de treinamento para a Copa do Mundo. Uma das preocupações é em apressar as obras de reforma do Batistão, o que agradaria também aos principais times sergipanos e que vão mandar suas partidas em precários campos do interior. Mas o secretário Valmor Barbosa não garante a conclusão das obras antes da Copa.

Treinos
Tecnicamente, as obras do Batistão não impedem a opção feita pela seleção grega, porque os jogos da Copa serão disputados na Fonte Nova, em Salvador. A Grécia precisa de um centro de treinamento e pequenos estádios podem ser utilizados.

Ofenísia
O Governo do Estado prepara uma série de eventos para comemorar o centenário de Ofenísia Freire. Nesta quarta-feira, o governador Jackson Barreto participará  ativamente das solenidades, no inicio da tarde, ele participará do descerramento da placa em homenagem à professora no Colégio Atheneu Sergipense, em Aracaju. Já às 17h, o governador seguirá para a Academia Sergipana de Letras, onde presenciará a inauguração do busto de Ofenísia Freire. Logo depois, Jackson se dirige ao Palácio Museu Olímpio Campos onde assina autorização para licitação da reforma do Colégio Estadual Professora Ofenísia Freire, e lança também o edital para o concurso literário: 'Centenário Ofenísia Freire' e participa da exposição e exibição do vídeo-documentário 'Ofenísia: uma educadora sergipana'.

Mais prazo
Desde o dia 12 de dezembro que os lojistas sergipanos aguardam uma decisão da Secretaria da Fazenda para a flexibilidade de pagamento do ICMS gerado no mês de dezembro de 2013. Sugerem três parcelas para alinhar os custos operacionais do fim de ano com o pagamento de salários, 13º, contratações temporárias e outros encargos sazonais. O pedido é encabeçado pela CDL e outras entidades do comércio. Samuel Schuster diz que sempre ocorre o parcelamento anualmente.

Boquim
Com a presença do governador Jackson Barreto e de lideranças políticas da região centro-sul do Estado, foi enterrado ontem Eujácio de Andrade Silva, de 89 anos, pai do vice-prefeito de Boquim, Clóvis Trindade, que faleceu na manhã de ontem. Eujácio era natural de Arauá e deixou esposa e dois filhos.

Recursos
Os diretórios nacionais e estaduais dos partidos políticos que quiserem receber doações eleitorais a partir de 2 de janeiro de 2014 devem abrir conta bancária específica com essa finalidade. Para solicitar a abertura da conta específica ao banco, o partido precisa gerar no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o Requerimento de Abertura de Conta Bancária Eleitoral (Racep).

Documento
"O Racep é o documento gerado pelo partido, na página eletrônica do TSE, para entrega na instituição financeira, possibilitando a abertura de conta bancária para a movimentação de recursos de campanha. Dessa forma os bancos podem verificar a autenticidade do documento", informa Thiago Bergmann, assessor-chefe de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias do TSE. Após a abertura da conta, o partido poderá arrecadar recursos para a campanha, devendo emitir recibo eleitoral referente a cada doação recebida. Os diretórios nacionais e estaduais poderão solicitar e imprimir faixa de recibos eleitorais, por meio do Sistema de Recibos Eleitorais (SRE), também disponível no Portal do TSE.