Na Al, Jackson cobra aprovação do ProRedes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto faz a leitura da mensagem ao legislativo
O governador Jackson Barreto faz a leitura da mensagem ao legislativo

Durante o discurso de Jackson, vigilantes da SEED que querem o pagamento de gratificação deram as costas para o plenário
Durante o discurso de Jackson, vigilantes da SEED que querem o pagamento de gratificação deram as costas para o plenário

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/02/2014 às 01:41:00

O governador Jackson Barreto participou da abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa de Sergipe (AL/SE) na tarde desta segunda-feira. Na primeira sessão legislativa do ano, ele apresentou os avanços econômicos e sociais de Sergipe durante o ano de 2013 e cobrou celeridade na aprovação do ProRedes.

Na mesa da Casa legislativa desde agosto do ano passado, o programa consiste no financiamento de U$100 milhões de dólares do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e U$40 milhões em contrapartida o Governo do Estado para fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo geral deste programa é contribuir para a melhora da saúde da população de Sergipe, especialmente a mais vulnerável, por meio do fortalecimento da gestão do SUS e do SUAS e da expansão da rede física de serviços especializados de saúde de média e alta complexidade.
"Em nome das famílias mais carentes, por favor, aprovem o ProRedes. Esse projeto está aqui na Assembleia desde agosto do ano passado. São recursos de mais de R$ 200 milhões. Mostrei de forma objetiva como esses recursos serão utilizados no hospital do Câncer, no fortalecimento da assistência materno-infantil, do Sistema Único de Saúde, enfim, toda a área de saúde do estado. É um financiamento que precisa da aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional, que depende da capacidade de endividamento do Estado. O no último dia 11, o representante do BID nos mandou um alerta -ou aprova, ou Sergipe vai perder o recurso.

O ProRedes está pronto, é preciso apenas que a Assembleia aprove e permita ao Estado dar início ao trabalho. No entanto, o prazo está se esgotando, e se ele não for aprovado em tempo hábil, Sergipe perderá R$ 240 milhões. Aqui, os grandes prejudicados serão justamente as camadas mais carentes da população. Aqueles que, por dever e por compromisso, cabe a nós proteger e zelar", diz.
Os recursos do ProRedes serão utilizados na estruturação do Centro Especializado em Reabilitação, na aquisição de equipamentos do Centro de Atenção Integral à Saúde das Mulheres; reestruturação do sistema estadual de Saúde, com reforma e ampliação dos Centros de Especialidades do SUS em Lagarto, Itabaiana, Nossa Senhora do Socorro, Propriá e do conjunto Augusto Franco, em Aracaju, e a construção do Laboratório Central do Estado, resolvendo um dos principais gargalos do sistema de saúde de Sergipe, que é a marcação de exames.

O Proredes também destina recursos para equipar melhor e ampliar os serviços oferecidos por todas as 9 maternidades do Estado, como por exemplo a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e Santa Isabel, as maternidades de Lagarto, Itabaiana e Capela, e os setores materno-infantil dos hospitais de Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora da Glória, Propriá e Estância.

Carnalita - Jackson Barreto também solicitou o apoio dos deputados a favor do projeto Carnalita. O projeto da Vale do Rio Doce para explorar potássio em Sergipe depende da autorização do prefeito de Capela, município detentor de parte das minas de potássio. Com a execução do projeto, estima-se que serão gerados 4.000 empregos diretos e 10.000 indiretos na fase de construção, e 1.000 empregos diretos e 2.750 indiretos na fase de operação.
"Peço licença para fazer um apelo. Receio que a radicalização nos leve a um confronto que coloque em risco os interesses de Sergipe. Estejam advertidos para o risco de perdermos uma das maiores oportunidades de desenvolvimento que nos foi oferecida. Com a responsabilidade do cargo que exerço, continuo buscando um denominador comum para o projeto Carnalita. Não haverá como justificar ao povo de Sergipe a perda de R$4 bilhões. Além disso, a péssima impressão causada pelo projeto Carnalita pode afastar novos investimentos de Sergipe. Não permitamos que isso aconteça. Ninguém sairá vitorioso com a perda do projeto Carnalita", afirmou.

O crescimento econômico de Sergipe durante o ano de 2013 também foi destaque durante o pronunciamento do governador.  Ano passado, o Estado atraiu grandes investimentos nos setores de serviços, automóveis e energia, como a instalação de um refinaria de petróleo no município de Carmópolis e a descoberta de um campo de petróleo na costa sergipana, capaz de produzir mais de 100 mil barris de petróleo por dia.

Infraestrutura - As obras de infraestrutra como a construção de adutoras para ampliação da uma rede de abastecimento de água comprovam o empenho do Governo do Estado em melhorar a qualidade de vida dos sergipanos.
"O que dá sentido ao trabalho é fazer mover todo o governo para cuidar do nosso povo. Temos um ritmo de entregas, inaugurações e serviços inédito na história recente deste Estado. Todas as semanas, em algum ponto do Estado, estamos entregando à população uma nova Clínica de Saúde da Família, uma escola reformada, uma nova praça, estamos oferecendo um novo serviço que torna melhor a vida de um sergipano ou uma sergipana. Equilibramos as contas públicas e afastamos o fantasma do não pagamento dos servidores e do descumprimento dos contratos. Com as finanças normalizadas, pudemos acelerar o rimo das obras públicas".