Sexta, 24 De Maio De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Acusado por ameaças a deputado tem telefone celular apreendido


Avatar

Publicado em 06 de abril de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Menos de um mês após o deputado estadual Sérgio Reis (PSD), ter buscado apoio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) contra ameaças de morte que recebeu na primeira quinzena de março, agentes da Polícia Civil apreenderam no início da manhã de ontem o aparelho telefônico do homem principal acusado de ser o responsável pelas mensagens. Os nomes dos envolvidos não foram revelados pelo setor de inteligência da pasta, mas o parlamentar publicitou, inclusive, protocolo junto à Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese) a aplicação imediata de medidas protetivas. A ação policial foi orquestrada por profissionais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), bem como contou com o auxílio da Divisão de Inteligência (Dipol).
Paralelo à proteção recebida pela Casa Legislativa, o Poder Judiciário sergipano também determinou que o homem mantenha o distanciamento da vítima sob qualquer hipótese e não utilize redes sociais. A partir da próxima segunda-feira, 08, a expectativa é que o celular apreendido passe por perícia, com a finalidade de encontrar possível dimensão e gravidade dos atos que eram perpetrados pelo investigado. Responsável por coordenar as investigações, o delegado Hilton Duarte, revelou no decorrer desta sexta-feira, 05, que o investigado possui um vasto histórico de crimes contra a honra e ameaça. As investigações seguem por tempo indeterminado; o suspeito não recebeu ordem de prisão e segue respondendo ao processo em liberdade.
“Ao todo, foram encontrados 19 boletins de ocorrência, sempre em contexto de discussões políticas e também em ambiente de redes sociais, o que dá mais gravidade ao crime […] nesta sexta-feira, ele foi encontrado, e o celular dele foi apreendido por determinação da justiça. O celular era utilizado como o meio para que ele praticasse os crimes”, declarou. Sobre o uso das respectivas redes sociais, o delegado completou enaltecendo que a decisão judicial implica: “também na suspensão da conta no Instagram que ele possuía, além da proibição do investigado utilizar redes sociais, tendo em vista que era o meio que ele praticava todos os crimes.” No dia 12 de março o deputado revelou o nome do possível protagonista das ameaças.
“Quem quiser que pense que estou com medo ou que vai me fazer mudar minha conduta pública, saindo dela. Não tenho medo, não me rendo a essa ameaças e não vou me calar. Solicitei um apoio de medida protetiva na Alese e estendi para a SSP. Integrante de um grupo de milícia, Jean Oliveira é uma desses criminosos que está me ameaçando e amedrontando a minha família”, disse. Durante sessão plenária, o parlamentar seguiu denunciando: “o poder judiciário precisa acabar com estes marginais que estão agindo em Lagarto. Pessoas homicidas e traficantes contratados pela Prefeitura de Lagarto. Em um dos áudios o criminoso diz que me procuraria no inferno ou esperaria na frente da Alese para descarregava uma pistola na minha cabeça.”
Mesmo com o principal suspeito identificado, o governo do estado pede que denúncias anônimas contendo informações capazes de colaborar com os estudos, sejam apresentadas ao setor de inteligência da Polícia Civil. O compartilhamento destes dados deve ser feito a qualquer hora do dia por meio do Disque-Denúncia (181). O sigilo é garantido. Profissionais do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP 190) também permanecem à disposição para encaminhar as informações para o setor de inteligência da Polícia Civil.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade