Sábado, 20 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe registra recuo na taxa de feminicídio


Avatar

Publicado em 08 de março de 2024
Por Jornal Do Dia Se


O feminicídio é uma qualificação do crime de homicídio doloso, quando há a intenção de matar (Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Milton Alves Júnior
 
Redução de casos envolvendo feminicídio no estado de Sergipe é apresentado por agentes públicos como resultado gradativamente positivo, mas o suficiente para demonstrar o persistente nível de vulnerabilidade enfrentado pelas mulheres. Informações da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim) – pertencente à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) -, divulgada em parceria com o Observatório Beatriz Nascimento, dão conta que foram contabilizados 20 casos de feminicídio no ano de 2021; 19 casos em 2022; e, no ano passado, 16. No Brasil, em 2023, ao menos oito mulheres foram vítimas de violência doméstica a cada 24 horas. Estes dados compõem estatísticas contabilizadas em nove estados monitorados pela Rede de Observatórios da Segurança.
São eles: Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro e São Paulo; este último, mais populoso da nação, identificou até a segunda quinzena de novembro do ano passado, 111 casos, o maior número entre as unidades federativas, que representa um crescimento de 33,7%.
Este ano em Sergipe, ao menos três mulheres perderam a vida vítimas de feminicídio. Somente no mês de janeiro foram identificadas: Jocilene dos Santos, de 32 anos, foi encontrada morta em um terreno baldio, no município de Riachão do Dantas; e Maria Valdênia dos Santos, de 41, morta a facadas na rodovia estadual João Bebe Água, município de São Cristóvão.
Uma pesquisa feita pelo Senado mostra que 30% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de violência doméstica provocada por um homem. Dessas, 76% sofreram violência física. O JD enaltece os leitores que a Central de Atendimento à Mulher está disponível para receber denúncias através do número 180. A ligação é gratuita, e o sigilo integral da denúncia é garantido.
Nesse número estarão as orientações sobre direitos e serviços para a população feminina em todo o país. Profissionais do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP 190), também permanecem à disposição para proceder com a imediata assistência social. Denúncias anônimas podem ser compartilhadas ainda através dos seguintes contatos: DAGV Aracaju: 3205-5400; DAGV Nossa Senhora do Socorro: 3279-2450; DAGV Itabaiana: 3431-8513; DAGV Nossa Senhora da Glória: 3411-4250; DAGV Propriá: 3322-6550; DAGV Estância: 3522-8777; DAGV São Cristóvão: 3257-9550; e/ou DAGV Barra dos Coqueiros: 3262-1451.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade