Quarta, 29 De Junho De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

A felicidade das pequenas coisas


Avatar

Publicado em 11 de fevereiro de 2022
Por Jornal Do Dia Se


O Butão dá aula de simplicidade

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

Primeira produção do Butão indicada ao Oscar, ‘A Felicidade das Pequenas Coisas’ é exibido desde a semana passada pelo Cine Vitória, na Rua do Turista, Centro de Aracaju. Este é o único concorrente da categoria Melhor Filme Internacional em cartaz nas salas do país.
Comemorando a indicação, o cineasta Pawo Choyning Dorji fez questão de chamar atenção para os filmes realizados às margens da indústria americana. “Hoje, me sinto muito honrado e orgulhoso, não como cineasta de um filme indicado ao Oscar, mas como butanês. A indicação de ‘A Felicidade das Pequenas Coisas’ é histórica para o Butão – um país pequeno, mas muito especial, com muita sabedoria e compaixão para partilhar com o restante do mundo. Sou muito grato à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e aos membros da Academia por nos dar essa oportunidade e plataforma para compartilhamos nós mesmos com o mundo”.
“A jornada improvável desse pequeno filme, das geleiras do Himalaia ao Oscar, é a celebração de todas as possibilidades na arte e na criatividade. Esperamos que nosso filme, mostrando valores humanos muito simples e essenciais do lugar mais remoto do mundo, continue a tocar o coração das pessoas, especialmente nesses tempos de dificuldade”.
A história inspiradora de ‘A Felicidade das Pequenas Coisas’ é protagonizada por um professor na faixa dos 20 anos Ugyen Dorji (Sherhab Dorji), que está prestes a terminar seu contrato com o governo como professor de escola pública. Ele está cansado dessa profissão, e cogita seguir seu sonho: se tornar um cantor na Austrália. Ele é mandado para dar aula em Lunana, um vilarejo minúsculo e distante, um lugar com 56 habitantes, nas proximidades do Himalaia, e acessível apenas a pé – o que garante uma semana de viagem caminhando.
Ao chegar lá, tudo é tão ruim quando esperava: o celular não pega, seu quarto é terrível, e a energia elétrica é intermitente. E ele insiste em ser transferido, mas, enquanto a mudança não sai, é obrigado a dar aulas ali, e acaba sendo conquistado por seus alunos, e se encanta com Saldon (Kelden Lhamo Gurung), uma jovem cuja bela voz canta sobre a natureza e os espíritos.
Desde sua estreia no Brasil, o filme só tem colhido elogios. Mariane Morisawa, no Estado de S. Paulo, diz que “A Felicidade das Pequenas Coisas é uma grata surpresa do Oscar”. Na Folha de S. Paulo, o jornalista Zeca Camargo escreve: “Ao concluir a saga do seu professor, com pitadas de filmes do gênero que vão de ‘Ao Mestre com Carinho’ a ‘Sociedade dos Poetas Mortos’, só que com música, o diretor resiste ao clichê mais imediato da transformação”.
O Cine Vitória volta a exibir ‘A Felicidade das Pequenas Coisas’ nos dias 11 e 13 de fevereiro (sexta e domingo), às 15 horas.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade