Quarta, 29 De Junho De 2022
**PUBLICIDADE


Além do circo


Avatar

Publicado em 16 de junho de 2021
Por Jornal Do Dia


A alma dos Stones

 

* Rian Santos 
As luzes e o fogue-
tório, os sinais mais 
superficiais do sucesso, em oposição a uma base sólida, o acúmulo de muitas horas dedicadas à lenta combustão de uma paixão violenta. ‘Keith Richards: Under the influence’ (2015), documentário dirigido por Morgan Neville, uma excelente produção original bancada pela Netflix, coloca o circo do rock and roll em segundo plano e argumenta em favor da verdade anterior à explosão dos hits que consagraram The Rolling Stones. Música pura e simples, antes das selfies e do business.
Apesar de o título sugestivo atrair a atenção dos tarados por escândalo, Keith Richards, alma dos Stones, é apresentado aqui como um músico de inspiração genuína – dedos calejados, sensibilidade e cultura que lhe renderam trânsito livre entre alguns dos maiores de todos os tempos. De Howlin Wolf e Buddy Guy a Tom Waits, só pra ficar entre os depoimentos pontuando o filme, o guitarrista é querido por todo mundo.
Importante mencionar a segurança demonstrada pelo diretor na condução das entrevistas. Neville não é um estranho no ninho, possui uma já extensa filmografia dedicada aos picos mais altos da música americana e conquistou o Oscar de melhor documentário de 2014 com ’20 Feet From Stardom’, focado na trajetória das cantoras de apoio que emprestaram a voz aos grandes do rock e do soul. 
‘Under the influence’ foi realizado enquanto o guitarrista gravava o seu álbum mais recente. ‘Crosseyed Heart’ foi lançado junto com o documentário, o primeiro trabalho solo de Richards desde 1992. Certamente não é o momento mais explosivo de sua carreira. Mas prova que, a despeito de todos os excessos, o velhinho não tirou os pés do chão, sabe muito bem de onde veio, e ainda está vivo.
Nota à margem: Em sua empreitada mais recente, o diretor Morgan Neville foca a trajetória de outro rock star: O chefe de cozinha, escritor e improvável celebridade televisiva Anthony Bourdain. O filme causou no circuito de festivais e tem lançamento comercial previsto para o dia 16 de julho. A dica é de graça.
* Rian Santos, jornalista.

* Rian Santos 

As luzes e o fogue- tório, os sinais mais  superficiais do sucesso, em oposição a uma base sólida, o acúmulo de muitas horas dedicadas à lenta combustão de uma paixão violenta. ‘Keith Richards: Under the influence’ (2015), documentário dirigido por Morgan Neville, uma excelente produção original bancada pela Netflix, coloca o circo do rock and roll em segundo plano e argumenta em favor da verdade anterior à explosão dos hits que consagraram The Rolling Stones. Música pura e simples, antes das selfies e do business.
Apesar de o título sugestivo atrair a atenção dos tarados por escândalo, Keith Richards, alma dos Stones, é apresentado aqui como um músico de inspiração genuína – dedos calejados, sensibilidade e cultura que lhe renderam trânsito livre entre alguns dos maiores de todos os tempos. De Howlin Wolf e Buddy Guy a Tom Waits, só pra ficar entre os depoimentos pontuando o filme, o guitarrista é querido por todo mundo.
Importante mencionar a segurança demonstrada pelo diretor na condução das entrevistas. Neville não é um estranho no ninho, possui uma já extensa filmografia dedicada aos picos mais altos da música americana e conquistou o Oscar de melhor documentário de 2014 com ’20 Feet From Stardom’, focado na trajetória das cantoras de apoio que emprestaram a voz aos grandes do rock e do soul. 
‘Under the influence’ foi realizado enquanto o guitarrista gravava o seu álbum mais recente. ‘Crosseyed Heart’ foi lançado junto com o documentário, o primeiro trabalho solo de Richards desde 1992. Certamente não é o momento mais explosivo de sua carreira. Mas prova que, a despeito de todos os excessos, o velhinho não tirou os pés do chão, sabe muito bem de onde veio, e ainda está vivo.

Nota à margem: Em sua empreitada mais recente, o diretor Morgan Neville foca a trajetória de outro rock star: O chefe de cozinha, escritor e improvável celebridade televisiva Anthony Bourdain. O filme causou no circuito de festivais e tem lançamento comercial previsto para o dia 16 de julho. A dica é de graça.

* Rian Santos, jornalista.

 

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE