Sexta, 19 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Com atraso, começam as aulas em Tomar do Geru


Avatar

Publicado em 03 de abril de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Após 45 dias de protesto contra um impasse administrativo que resultou na impossibilidade do início das aulas na cidade de Tomar do Geru, cidade localizada na região Sul Sergipano, na manhã de ontem cerca de 1.800 crianças e/ou adolescentes puderam acessar as escolas e dar início ao ano letivo. Conforme anunciado pela administração municipal, o problema foi solucionado depois que os vereadores optaram por aprovar a Lei Orçamentária Anual (LOA). De acordo com o prefeito Pedrinho Balbino, além das atividades escolares, também foram retomados os serviços de saúde e fornecimento de água potável por intermédio de carros-pipa. Na edição do dia 02 de março o JORNAL DO DIA havia destacado a reclamação dos moradores.
Crítico à postura adotada pela maioria dos legisladores, o chefe do Poder Executivo Municipal revelou que um projeto, orçado no valor de R$ 113 milhões, foi enviado à Câmara em caráter de urgência, no dia 27 de fevereiro, mas até a primeira semana de março não havia sido levado com urgência ao plenário para discussão. Ainda segundo Balbino, essa barreira está diretamente motivado o adiamento das aulas, já que para o início do ano letivo seria necessário contratar novos professores e ter orçamento para a merenda escolar. “Todos os serviços públicos já iniciaram seu restabelecimento e acreditamos que, em uma ou duas semanas, todos os serviços estejam plenamente restabelecidos”, declarou.
Diante do impasse municipal, na primeira quinzena do mês passado o Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE) foi provocado pela própria Prefeitura de Tomar do Geru; a expectativa da gestão era que a Corte de Contas colaborasse com o destrave do problema. Diante do apelo, o órgão de fiscalização deliberou pela instauração de uma mesa técnica, a qual deu início às buscas por soluções consensuais através da convocação dos gestores responsáveis. Este atraso na aprovação resultou, de igual modo, no atraso do pagamento de salários de servidores e o transporte de pacientes para outros estados e municípios. Questionado pelo JD quanto ao cumprimento do calendário escolar, o gestor informou que a Secretaria da Educação está desenvolvendo um cronograma de reposição das aulas.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade