Terça, 16 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

A mágica do Mamulengo


Avatar

Publicado em 17 de maio de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Um trabalho feito com as mãos.

Rian Santos
[email protected]

Na primeira oportunidade, dei uma de menino e despenquei até o Centro Cultural de Aracaju só para ver os bonecos de Augusto Barreto. Ganhei o dia. ‘Talco no salão’, o espetáculo do grupo Mamulengo de Cheiroso então apresentado no Teatro João Costa, Centro Cultural de Aracaju, foi pensado para o público infantil. O que mais se viu na platéia, contudo, foi macaco velho virado em pinto no lixo, feito pingo de gente, às gargalhadas.
A montagem, todo mundo sabe, revisa alguns dos marcos biográficos vividos pela cantora Clemilda, desde o nascimento até o sucesso, incontestável. Mas isso é o que menos importa. A graça que anima os bonecos confeccionados na sede do Mamulengo, a picardia de cada diálogo, faz mais do que uma simples e oportuna homenagem à cantora. ‘Talco no salão’ subverte a malícia no repertório de Clemilda em linguagem.
Sob a lona do Mamulengo, tudo é feito com as mãos, tudo é singelo e genuíno. Um trio pé de serra comandado por Mimi do Acordeon, afinadíssimo, conduz a montagem de uma ponta a outra, como uma ladainha. O cenário armado e desarmado a todo momento, na presença da plateia, o figurino e os adereços em cena, os recursos sonoros, tudo remete a certo ideal de infância, no qual a imaginação dá o tom, impõe o ritmo, aponta o curso.
Feliz de quem ainda se dispõe à maravilha de panos e inflexões da cultura popular, preservada aos trancos e barrancos por guerreiros como Augusto Barreto. Falo agora por experiência própria. Do artesanato, oficina de antepassados, o Mamulengo de Cheiroso faz mágica.
Fico sabendo que o Museu da Gente Sergipana se dispôs a preservar parte do acervo de bonecos confeccionados pelo Mamulengo – uma feliz providência do diretor-superintendente Ézio Déda (ver nesta página). Imagino o alívio de Augusto. Quem o visita em sua oficina não pode deixar de se admirar com o tanto de material indispensável à manufatura da fantasia e do sonho.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade