Terça, 16 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Empresário e diretora de escola pública presos por desvio de verbas


Avatar

Publicado em 05 de agosto de 2022
Por Jornal Do Dia Se


De acordo com a SSP, a Seduc destinou um valor orçado em R$ 120 mil à unidade de ensino, para obras de melhoria estrutural.

Milton Alves Júnior

A Polícia Civil prendeu ontem um empresário e a diretora de uma escola pública estadual do povoado Jenipapo, em Lagarto (Centro-Sul). Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), eles são acusados de envolvimento com o desvio de R$ 120 mil em verbas enviadas a escola pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc). O caso vinha sendo investigado desdeoutubro do ano passado, quando denúncias de um suposto uso irregular de dinheiro público envolvendo a diretora e o empresário, cujos nomes não foram divulgados.
Ao todo, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão, que foram cumpridos em Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Barra dos Coqueiros. Durante as buscas, foram apreendidos cheques de titularidade do poder público assinados pela diretora investigada, assim como também de notas fiscais, comprovantes de transferências bancárias e aparelhos celulares. Os presos e o material apreendido encontram-se à disposição da Justiça.
De acordo com a SSP, a Seduc destinou um valor orçado em R$ 120 mil à unidade de ensino, para obras de melhoria estrutural. Nas investigações, o setor de inteligência da Polícia Civil descobriu que entre abril e agosto de 2021, os valores foram enviados – através de cheques de saques e compensações bancárias – a familiares da então diretora da unidade de ensino – companheiro, filha e também uma empresa sediada em Aracaju, a qual não possuía nenhum vínculo com o Poder Público. As análises tiveram como base os extratos bancários vinculados à conta da escola.
“Da mesma forma, a investigação constatou que, em conformidade com o depoimento de integrantes do Conselho Escolar da Unidade de Ensino, apesar do valor público ter se esgotado nas transações acima mencionadas, não houve prestação de contas da verba junto à Seduc, e nem foram efetuadas obras de melhorias na unidade educacional” diz a SSP, em nota.
A operação envolveu equipes da 3ª Divisão da Delegacia Regional de Lagarto, com apoio da Divisão de Inteligência (Dipol), da Delegacia Regional de Lagarto, da 2ª Divisão da Delegacia Regional de Lagarto, da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis de Lagarto (DAGV) e da Delegacia Regional de Itabaiana.

Contraponto – Durante todo o dia de ontem o JORNAL DO DIA buscou conversar com os advogados dos investigados a fim de apresentar publicamente as possíveis respectivas defesas, mas até às 18 horas não houve resposta. O JD segue à disposição para garantir e publicar o direito de resposta dos protagonistas desta ação policial. (Com Gabriel Damásio)

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade