Quarta, 29 De Junho De 2022
**PUBLICIDADE


Laércio controla todos os órgãos de desenvolvimento do governo de SE


Avatar

Publicado em 21 de maio de 2022
Por Jornal Do Dia Se


LAÉRCIO NA VISITA DE BOLSONARO.

Desde o início do segundo governo Belivaldo Chagas, em 1º de janeiro de 2019, o deputado federal Laércio Oliveira (PP), que é considerado o principal expoente do bolsonarismo em Sergipe, controla todos os órgãos ligados ao desenvolvimento econômico. Nesse período, o estado apresenta baixo índice de crescimento e está entre os estados com as maiores taxas de desemprego do país.
Para comandar Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Laércio Oliveira foi buscar no Rio Janeiro José Augusto Carvalho, irmão do seu sócio na empresa Multiserv, Fernando Carvalho, atual presidente do PP, que ficou responsável pela indicação dos dirigentes dos órgãos coligados: Codise, SergipeTec, Fapitec e a parte da Adema responsável pelos licenciamentos ambientais. Laércio ainda preside o Sistema Fecomércio (Sesc e Senac) e controla o Sebrae.
Não há um projeto de desenvolvimento para o estado. Na semana passada, a sete meses do fim da atual gestão, foi divulgado que o Governo do Estado apresentou ao Departamento Nacional de Infraestruturas de Transportes (DNIT) “a necessidade de melhorias rodoviárias para atender as demandas de logística que o Polo de Fertilizantes de Sergipe requer. Dentre elas estão a conclusão da duplicação da BR-101/SE e melhorias na rodovia BR-235/SE, visto que são vias de escoamento fundamentais para a consolidação do Polo no estado”.
Segundo o governo, o projeto do Polo de Fertilizantes de Sergipe vem sendo elaborado por meio de parceria entre a Sedetec, a Consultoria Mastersenso e Instituto Fecomércio, envolvendo aspectos relacionados à cadeia de produção e também questões de logística.
Dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (PNAD contínua trimestral) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana passada, apontaram que a taxa de desocupação do Brasil no 1º trimestre de 2022 foi de 11,1%, se mantendo estável com relação ao 4 º trimestre de 2021 (11,1%).
No estado de Sergipe, a taxa de desocupação passou de 14,5% no 4º trimestre de 2021 para 14,9% no 1º trimestre de 2022, a quarta maior taxa do país. Sergipe também registrou a segunda maior taxa composta de subutilização (percentual de pessoas desocupadas, subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação a força de trabalho ampliada), 38,6%. No período analisado, 27,1% da população ocupada do estado estava trabalhando por conta própria; 55,9% dos trabalhadores do setor privados estavam trabalhando com carteira assinada e a taxa de informalidade ficou em 53,6% da população ocupada.
Além de controlar os órgãos econômicos, como deputado federal, Láercio Oliveira foi o relator da famigerada reforma trabalhista que entrou em vigor no final do governo Temer. A reforma retirou direitos dos trabalhadores, facilitando a vida de empresários que terceirizam mão-de-obra.
O secretário de Assuntos Jurídicos da CUT, Valeir Ertle, lembrou que originalmente o projeto de reforma do Executivo tinha sete artigos e 19 dispositivos. Saiu do Congresso com 117 artigos e 138 dispositivos. “E foi feita a toque de caixa”, lembrou. “Foi apresentado relatório na segunda, na terça aprovado o regime de urgência e aprovado na mesma semana na Câmara, sem nenhum tipo de debate.”
Em estudo publicado na terça-feira (17), pesquisadores do Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades (Made-USP) concluem que a “reforma” trabalhista aprovada em 2017 “não apresentou efeito estatisticamente significante sobre a taxa de desemprego”. O resultado da pesquisa desmonta o argumento do governo golpista de Michel Temer, autor da “reforma”, que à época estimava que a precarização dos direitos dos trabalhadores criaria entre 2 e 6 milhões de empregos.
O deputado Laércio Oliveira, no entanto, segue como um dos bolsonaristas mais entusiasmados do estado, independente da crise econômica, com aumento da inflação e dos preços dos combustíveis, queda dos salários, além do desemprego já mostrado. Na terça-feira, durante a inauguração do trecho da BR-101, em Propriá, aplaudia entusiasticamente todas as palavras do presidente Bolsonaro.
Laércio tem o perfil do empresariado sergipano: reacionário e a favor de qualquer governo que retire direitos e massacre os trabalhadores, como mostrou no caso da reforma trabalhista.
E não tem nenhum projeto para o desenvolvimento de Sergipe, mesmo controlando os órgãos do estado.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE