Sábado, 06 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Suspeita de um caso de varíola dos macacos gera isolamento na capital


Avatar

Publicado em 04 de agosto de 2022
Por Jornal Do Dia Se


O documento foi elaborado com o objetivo de apoiar e orientar os profissionais e componentes da rede estadual de saúde sobre as medidas de vigilância, proteção e controle em situações de emergência em saúde pública.

Milton Alves Júnior

Depois de duas análises terem testado negativo para a varíola dos macacos, o estado de Sergipe volta a ampliar os sinais de alerta em virtude de outro paciente apresentar suspeita para a doença. As suspeitas mais recentes foram registradas no final do mês passado. Na manhã de ontem, a prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), oficializou que uma pessoa apresentou os sintomas e precisou ser isolada enquanto o resultado das análises não for concluído.
A perspectiva por parte dos gestores municipais e estaduais é que essa resposta seja apresentada até o final da tarde de amanhã pelo laboratório responsável pela apuração. Waneska Barboza, secretária municipal da Saúde, destacou que a administração municipal está acompanhando com cautela o cenário.
De acordo com a gestora, desde o mês de junho deste ano – quando o índice da doença começou a atingir proporções maiores em todo o mundo -, a busca por informações sobre a varíola dos macacos foi impulsionada na capital sergipana. Com mais de 700 casos confirmados no Brasil, e nenhuma morte, oficialmente o estado de Sergipe segue sem nenhum caso registrado.
Esse trabalho de apuração deve receber reforço a partir da próxima semana, quando a Universidade Federal de Sergipe (UFS), deve receber um lote contendo 300 kits de teste para a doença. Endereçado ao Laboratório de Bioquímica Clínica (Labic), a instituição de ensino superior receberá esta doação por parte do governo da Corea do Sul.
“A prefeitura de Aracaju tem desenvolvido um trabalho diário e bastante minucioso para proteger melhor as pessoas, e, caso haja o teste positivo para a varíola dos macacos, ofertar de forma o tratamento adequado. No que se refere a este caso deu entrada na nossa rede municipal ontem [terça-feira, 02], o que podemos revelar é que ainda se trata de suspeito porque apresentou alguns sintomas associados à doença, como febre e dores musculares. Assim que o resultado for repassado, informaremos se foi positivo, ou negativo semelhante aos demais testes já realizados”, destacou a secretária. A princípio, a preocupação nacional envolve as unidades federativas que compõem a região Sudeste, em especial, os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
Os sintomas da varíola dos macacos são semelhantes aos da varíola, mas com menor gravidade: febre, dores de cabeça, musculares e nas costas, linfonodos inchados, calafrios e exaustão, além de lesões na pele que se desenvolvem primeiramente no rosto e depois se espalham para o corpo. Atualmente, de acordo com o próprio MS, o calendário do Sistema Único de Saúde (SUS) não oferece a vacina, pois ela é considerada erradicada no Brasil desde a década de 1970. Para as pessoas que tomaram a dose nessa época, é possível que ainda exista algum tipo de proteção contra a varíola dos macacos. O governo federal ainda não se manifestou publicamente sobre a possibilidade de reativar o processo de vacina contra a varíola.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade