Sábado, 13 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade


Avatar

Publicado em 27 de julho de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Daniela confirmou ainda que o motorista do carro se apresentou espontaneamente, num momento em que os policiais de sua equipe trabalhavam para identificar o veículo envolvido a partir de imagens de câmeras de segurança da região.

Gabriel Damásio

A Polícia Civil investiga o acidente que deixou um motociclista em estado grave na esquina da Rua Maruim com a Avenida Pedro Calazans, no centro de Aracaju. Ele ocorreu na noite do último sábado, quando o motorista de um carro Citroën de cor branca dobrou a esquina sem diminuir a velocidade e acertou uma moto de cor preta, saindo do local sem prestar socorro. O condutor da moto, Gilson Roberto da Cruz Santos, 39 anos, foi levado com ferimentos graves para a UTI do Hospital de Urgência João Alves Filho (Huse), onde permanecia internado até o fechamento desta edição. Segundo o boletim divulgado ontem pelo Huse, sofreu traumatismo cranioencefálico epassou por cirurgia para corrigir uma fratura na perna. O paciente “está sedado, em uso de ventilação mecânica, estável hemodinamicamente, recebendo suporte avançado em um leito de UTI”, conforme o boletim.
Já na manhã de ontem, o motorista do Citroën, identificado como Júlio Cézar Silva Filgueira, se apresentou na Delegacia Especial de Delitos de Trânsito (DEDT) e prestou depoimento, acompanhado por um advogado. Segundo a delegada da DEDT, Daniela Lima Barreto, o motorista alegou em sua defesa que dirigia a caminho de uma farmácia e que não enxergava direito o que estava à sua frente, pois era noite e chovia muito no local e no momento do acidente.Júlio admitiu ainda que não parou para prestar socorro após atingir Gilson, mas alegou que um vidro do carro estourou após o impacto e, por isso, ele ficou desorientado, sem entender o que estava acontecendo.
Daniela confirmou ainda que o motorista do carro se apresentou espontaneamente, num momento em que os policiais de sua equipe trabalhavam para identificar o veículo envolvido a partir de imagens de câmeras de segurança da região. “Agora, vamos seguir com as investigações para apurar a lesão corporal culposa de trânsito. Evidentemente, todas as circunstâncias do acidente, a maneira como aconteceu e suas causas deverão ser apuradas no curso da investigação”, disse a delegada, referindo-se à versão do condutor.
A Polícia deve seguir com depoimentos de outras testemunhas e com perícias realizadas na moto e no carro envolvidos no acidente, enquanto aguarda uma melhora no estado de saúde do motociclista Gilson. De acordo com Daniela, o motorista da Citroën pode ser indiciado caso fique provado que houve omissão de socorro da parte dele, pelo fato de não ter parado para ajudar a vítima. “A omissão de socorro, no caso da lesão corporal culposa de trânsito, é uma circunstância que pode aumentar a pena de um terço até a metade. Tudo isso vai ficar demonstrado na investigação”, pontuou ela.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade