Sábado, 06 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Bancários lançam campanha salarial


Avatar

Publicado em 29 de junho de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Ato de lançamento da campanha salarial dos bancários.

Milton Alves Júnior

Profissionais bancários voltaram a ocupar na manhã de ontem, parte da Rua João Pessoa, na região central de Aracaju, com a missão de pressionar as instituições financeiras para conceder reajuste salarial tendo como base o Índice Nacional de Preços no Consumidor (INPC). Coordenado pelo Sindicato dos Bancários do Estado de Sergipe (SEEB), e pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, (CTB), o ato contou com a participação de profissionais que atuam em bancos públicos e particulares. Intitulado de “Bora ganhar esse jogo”, a mobilização marcou o início oficial da campanha salarial deste ano. A princípio os servidores exigem reposição da inflação, mais um aumento real de 5% nos salários e demais verbas econômicas.
Dados contábeis apresentados durante a manifestação pelo presidente interino do SEEB/SE, Everton Castro, levam a crer que as instituições bancárias possuem amplas condições de atender ao pleito dos bancários já neste início de segundo semestre de 2022. Os números divulgados mostram que somente nos cinco primeiros meses desse ano, os cinco maiores bancos em atuação no Brasil conseguiram, juntos, acumular um lucro real superior a casa dos 28 bilhões de reais. Até o dia 31 de dezembro deste ano a perspectiva é que esta margem positiva – para os bancos – ultrapasse a casa dos 50 bilhões de reais. A perspectiva por parte dos trabalhadores é que a campanha salarial deste ano seja breve; caso contrário, se houver resistência por parte do setor empregatício, os bancários não descartam a possibilidade de paralisação dos serviços.
“Queremos também garantia de emprego, melhores condições de trabalho e manutenção dos direitos contidos na atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Além disso, reivindicamos aumento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), combate ao assédio moral e fim das metas abusivas. Estamos iniciando a luta a qual esperamos que seja breve; é cedo falar em paralisações ou greve, essas serão as últimas instâncias, mas estamos prontas para elas assim como já ocorreram inúmeras vezes ao longo da nossa história recente”, destacou. Questionado sobre a taxa de lucro contabilizada apenas por cinco bancos, Everton Castro reagiu enaltecendo que servidores bancários e os próprios clientes são os responsáveis diretos pelo impulsionamento.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade