Sábado, 06 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Curtida em foto da ex-mulher foi motivo de assassinato


Avatar

Publicado em 04 de agosto de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Além de Gildemar, foi preso um suspeito de prenome Carlos Wagner, que era conhecido como pistoleiro e respondia em liberdade por homicídio.

Gabriel Damásio

O inocente ato de curtir as fotos de uma mulher nas redes sociais foi apontado como causa de um assassinato ocorrido em 16 de abril deste ano no povoado Mangueira, em Itabaiana (Agreste). O caso foi desvendado ontem pela Polícia Civil, que prendeu três suspeitos durante a chamada “Operação Fatal Likes”. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Comarca local e cumpridos em Itabaiana e em Ribeirópolis, por agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol).
Um dos presos é Gildemar Oliveira, o “Gildo do Remédio”, que de acordo com as investigações da Polícia, foi o mandante do assassinato de Carlos Eduardo Santos de Jesus, 23 anos, que morreu baleado dentro da farmácia pertencente à família. De acordo com o delegado Tarcísio Tenório, responsável pelo caso, Carlos teria dado “curtidas” em fotos da ex-esposa do acusado. “A linha de investigação vai no sentido de que a vítima já trabalhou na mesma empresa da ex-mulher do suposto mandante e teria curtido as redes sociais dela. Esse suposto mandante, possivelmente por acesso de ciúmes, passou a entrar entrar em contato com ele e com outras pessoas do município que também eventualmente curtiram a rede social da ex-mulher, no sentido de intimidar essas pessoas”, disse ele.
Além de Gildemar, foi preso um suspeito de prenome Carlos Wagner, que era conhecido como pistoleiro e respondia em liberdade por homicídio. Ele é suspeito de ser o homem que aparece em uma gravação de circuito interno de TV, feita na noite do crime. Nela, o homem com capacete saca uma arma antes de entrar na farmácia e sai correndo de lá menos de 10 segundos depois. Segundo a polícia, foi o momento em que Carlos Eduardo foi morto a tiros. A apuração também identificou que Gilberto de Oliveira, caseiro da propriedade rural de Gildemar, também teve envolvimento com o homicídio.
Tenório disse ainda que o rapaz assassinado sequer conhecia a mulher do suspeito, o que reforça ainda mais os indícios de motivação torpe do crime. “Afastado o sigilo dos dados do telefone da vítima, não ficou constatada nenhuma situação de aproximação, traição ou relação íntima entre vítima e a ex-mulher. Não foi um crime passional. Foi um crime de motivação abjeta, banal e fútil”, disse o delegado, acrescentando que as ameaças aos seguidores da ex-mulher de Gildo foram relatadas por outras testemunhas e também por denúncias anônimas feiras durante a investigação.
Durante a operação de ontem, os policiais apreenderam com os acusados duas pistolas, uma espingarda e um revólver, além de veículos e vestimentas. As investigações continuarão ao longo dos próximos dias, mas o delegado do caso considera que o caso está elucidado.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade