Quinta, 11 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Grupo é preso fazendo arrastão em ônibus


Avatar

Publicado em 01 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Um grupo de sete homens e duas mulheres foi preso no final da madrugada de ontem ao fazer um arrastão dentro de um ônibus entre as ruas Geru e Santa Rosa, no Centro da capital. Os acusados, que não portavam documentos e alegavam ser adolescentes, foram flagrados por policiais da 3ª Companhia do Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChq), que estavam fazendo o patrulhamento do Forró-Caju 2012. Entre os presos, foi identificado – e reconhecido por uma das vítimas – o ex-presidiário Genilton Correia de Souza Filho, 21 anos, condenado a quatro anos de prisão por crime de roubo, que estava cumprindo a pena no regime semi-aberto.

Segundo informações do BPChq, as equipes da unidade foram acionadas pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), após a denúncia de que um grupo de pessoas estava andando pelo centro em atitude suspeita e assaltando pessoas que saíam do Forró-Caju. As viaturas chegaram no momento em que o grupo fazia o arrastão, tomando vários objetos dos passageiros. Todos os objetos roubados, incluindo carteiras, relógios, jóias e celulares, foram recuperados e devolvidos aos donos.

Além dos objetos, a polícia apreendeu pequenas quantidades de maconha e crack, que eram usadas pelos acusados antes dos assaltos. A denúncia apontou que alguns dos criminosos estavam armados com facas e um revólver, mas de acordo com o tenente Edson, supervisor de dia do BPChq, nenhuma arma foi encontrada, levantando a suspeita de que elas teriam sido jogadas fora para despistar a polícia. Outras suspeitas, segundo o tenente, são de que os acusados sejam integrantes de uma torcida organizada e tenham participado de outros assaltos a ônibus recentes na capital. O grupo será investigado pela Divisão de Repressão a Roubos a Ônibus (DRRO).

Outro roubo – A polícia também registrou outro assalto a ônibus ocorrido na capital. Na manhã de sexta-feira, um coletivo da Viação Modelo que fazia a linha Marcos Freire III/DIA, foi roubado na Avenida D do Cj. Marcos Freire III, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). A abordagem foi violenta: ao passar em frente ao campo de futebol do bairro, três homens brancos armados com dois revólveres e uma pistola jogaram pedras e deram tiros para forçar a parada do veículo. Um dos disparos acertou as nádegas de um homem que passava pela rua e foi levado ao pronto-socorro.

Depois do ônibus parar, o trio subiu no ônibus e foi direto ao motorista e ao cobrador, que foram rendidos. Rapidamente, os ladrões levaram as carteiras das vítimas e R$ 180 em dinheiro, sendo R$ 30 da renda do dia. Os bandidos fugiram correndo e não deixaram qualquer pista. O caso também será investigado pela DRRO.

À noite, por volta das 19h30, um homem foi assaltado dentro de uma lanchonete da rede Habib’s, no Shopping Jardins, bairro Jardins (zona sul). Ele conta que estava parado no estacionamento da lanchonete e aguardava a chegada de um lanche quando foi rendido por um homem armado de revólver que aparentava ter 40 anos. De forma rápida, ele mandou a vítima descer do carro, um VW Golf cinza de placa HZU-2144/SE e fugiu com ele. O carro foi encontrado horas depois na BR-235, em Areia Branca (Agreste), sem o aparelho de som e R$ 850 em dinheiro que estavam dentro dele. A suspeita é de que o criminoso teria feito outros dois assaltos antes de abandonar o veículo. O assalto será apurado pela 1ª DM (Cj. Leite Neto).

Morreu na praça – O ex-presidiário Ginaldo Ferreira Santos Junior, 33 anos, foi assassinado ao final da noite de sexta-feira na Praça João Rodrigues da Cruz, conhecida como "Praça da Creche", no Cj. Augusto Franco (zona sul). Segundo testemunhas, ele foi atingido por vários tiros disparados por desconhecidos em um carro não-identificado. A vítima estava sentada em um dos bares da praça e morreu no local.  Ginaldo estava há sete meses em liberdade e cumpriu pena depois de ser condenado em um processo por homicídio. O crime está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que já identificou dois suspeitos do crime.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade