Sábado, 06 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Paralisação dos rodoviários continua na Grande Aracaju


Avatar

Publicado em 07 de junho de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Rodoviários das empresas Progresso, Tropical e Paraíso, permanecem em greve e suspendendo parte do sistema integrado de transporte público que operacionaliza em toda a região metropolitana de Aracaju. Conforme apresentado pelo JORNAL DO DIA na quinta-feira da semana passada – primeiro dia de mobilização -, a classe trabalhadora denuncia que parte dos salários referente ao mês de abril segue em aberto, e o salário referente ao mês de maio continua sem perspectiva para ser quitado. Ainda segundo denúncias apresentadas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sinttra), ao longo dos últimos dois anos é possível se deparar com impasse referentes ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); segundo contabilidade apresentada, essa irregularidade ocorre desde o primeiro semestre de 2020.
Dados operacionais apresentados pela SMTT mostram que nos últimos seis dias segue suspensa a circulação de 126 ônibus, os quais compõem 38 linhas que circulam na região metropolitana. Esse quantitativa gera impasses a mais de 50 mil usuários do sistema público. Novamente em diálogo com o JD, os trabalhadores informaram que estão dispostos a retornar aos respectivos postos de trabalho, desde que as empresas paguem 22% do salário referente ao mês de abril, bem como definam o pagamento de maio.
Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp) enalteceu que o sistema tem enfrentado amplas dificuldades financeiras, as quais proporcionam a manutenção dos problemas administrativos. Apesar deste cenário, os grupos empresariais alegaram que desde a quinta-feira, 02 de junho, estão conseguindo quitar parte das pendências, e, por este motivo, solicitam compreensão por parte dos profissionais. “Boa parte dos funcionários já se disponibilizou para voltar ao trabalho, chegaram a tentar sair da garagem para operação na manhã de hoje, mas um grupo de 15 funcionários os impediu bloqueando a saída”, informou o Setransp. Além de Aracaju, a região metropolitana é composta ainda pelos municípios de São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e Nossa Senhora do Socorro.

Linhas afetadas – Desde o início da paralisação – convertida na sexta-feira, 03, em greve – foram diretamente impactadas as seguintes linhas: 001-Augusto Franco/Bugio; 031-Eduardo Gomes/Centro via Des. Maynard; 033-Terminal Rodoviário/Centro via Des. Maynard; 034-Terminal Rodoviário/Centro via Lourival Batista; 035-Terminal Rodoviário/Mercado via Nova Saneamento; 041-Aquarius/Centro via Aeroporto; 060-Padre Pedro/D.I.A; 070-Santa Maria/D.I.A; 200 CIC1-Circular Indústria e Comércio 01; 301-Luiz Alves/Zona Oeste; 307-São Cristóvão/Zona Oeste; 310-Terminal Rodoviário/Shopping Riomar; 311-Rita Cacete/Zona Oeste
312-Pedreira/Zona Oeste; 400-1-Circular Santa Lúcia 01; 400-2-Circular Santa Lúcia 02; 401-Inácio Barbosa/UNIT/D.I.A; 402-Sol Nascente/D.I.A. via JK; 404-Caípe Novo/D.I.A. via Prainha; 405-17de Março/D.I.A. via Marivan; 406-Aloque/D.I.A; 407-Padre Pedro/D.I.A; 408-1-Paraíso Sul/D.I.A. 01; 408-2-Paraíso Sul/D.I.A. 02.
A lista contempla ainda as linhas: 414-Marivan/D.I.A; 501-Pov. São José/Zona Sul; 503-Conj. Beira Mar/Zona Sul; 504-17 de Março/Zona Sul via Aquarius; 600 CP1-Circular Praias 01; 600 CP2-Circular Praias 02; 703-Augusto Franco/Centro via Siqueira Campos; 708-Terminal Rodoviário/Centro via Bairro América; 710-Veneza/Centro via D.E.R; 711-D.I.A./Centro via Castelo Branco – Suíssa; 717-Mosqueiro/Mercado via Beira Mar; 720-UNIT/Centro via Jardins; e 801-Luiz Alves/Campus via Rosa Maria.

SMTT notifica empresas e concede prazo de 48h para restabelecimento da circulação de ônibus

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju informa que as empresas Viação Progresso, Viação Paraíso e a Transporte Tropical foram notificadas nesta segunda-feira, 6, e receberam um prazo de 48h para o restabelecimento da circulação de toda a frota, sob pena de aplicação das sanções e medidas administrativas cabíveis.
Desde a última quinta-feira (2), primeiro dia de paralisação das atividades dos funcionários das três empresas em reivindicação a questões trabalhistas, a SMTT está em contato com as demais empresas de ônibus que compõem o sistema de transporte público da região metropolitana e veículos extras foram colocados nas linhas com maior demanda para reduzir os impactos na prestação do serviço.
O superintendente da SMTT, Renato Telles, lamenta a situação e conta que o órgão está cobrando uma solução para o impasse. “Desde o início da paralisação estamos cobrando uma solução das empresas.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade