Terça, 16 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Reitoria abre diálogo com servidores da UFS em greve


Avatar

Publicado em 06 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


O reitor Josué Passos recebe comissão de grevistas

Milton Alves Júnior

Em audiência com o reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, representantes do Comando Local de Greve (CLG) entregaram essa semana um dossiê de reivindicações. Idealizado pelo Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de Sergipe (Sintufs), o documento inclui todas as reivindicações de cada categoria atualmente em greve. Entre as pautas pleiteadas estão: melhoria das condições de trabalho de todos os servidores técnico administrativos da UFS, criação de Plano Estratégico de Segurança e reativação da Comissão Interna de Supervisão da Carreira (CIS).

Garantindo que só irá  se na próxima terça-feira, 10, o reitor, diante dos servidores, não se mostrou contrário à greve. Conforme declarações do servidor  Joseilton Nery Rocha, os grevistas estão ansiosos para ter conhecimento das propostas a serem apresentadas pela direção da UFS. "Acreditamos que pode ser o fim da greve, caso essas propostas agradem a todos. Porém, até então não iremos esfriar as nossas atividades. Uma série de manifestações será ser posta em prática na próxima semana", alegou.

Prevista para todo o dia de hoje, atividades culturais como partidas de futebol e rodas de música serão as principais ações a serem promovidas. "Programamos uma manifestação diferente e que possa agradar a todos os manifestantes. Vamos mudar um pouco e exigir, de maneira nunca vista no Estado de Sergipe, os benefícios reivindicados por todos aqueles que fazem a UFS", disse Nery.

A reunião durou cerca de três horas e contou com a participação de representantes do Sintufs, diretoria geral da instituição federal, e alguns alunos que apóiam a greve que já dura mais de 50 dias.

Embrapa – Também reivindicando melhorias junto ao Governo Federal, mais de 90% dos servidores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) cruzaram os braços mais uma vez durante todo o dia de ontem. Seguindo uma recomendação nacional, o acesso ao órgão ficou impossibilitado.

"Há pouco mais de dez dias nós realizamos uma paralisação nacional e não percebemos nenhum avanço nas negociações. Estamos parando mais uma vez, e esperamos que dessa vez seja diferente, caso contrário, a mobilização continuará", informou Elias Ribeiro, representante do Sindicato dos Servidores da Embrapa.

Apesar de retornarem hoje às atividades, uma assembléia será realizada nessa tarde para definir possíveis mobilizações a serem realizadas a partir da próxima segunda-feira.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade