Quinta, 18 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

São João teve menos queimados do que 2011


Avatar

Publicado em 26 de junho de 2012
Por Jornal Do Dia


Os casos de queimaduras aumentaram durante o São João

No período entre os dias 23 e 25 de junho, 18 vítimas de queimaduras provocadas por fogos de artifício deram entrada na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). Outras 16 pessoas foram vítimas de queimaduras em geral.
No mesmo período do ano passado, a UTQ atendeu a 60 casos. Os números divulgados na manhã de ontem revelam que a quantidade de atendimentos realizados a vítimas de queimaduras deste ano reduziu expressamente. Comparado ao ano passado, o total de registros em 2012 representa uma redução de quase 50%.
Nos últimos 10 dias, sete pessoas atingidas por fogos de artificio foram atendidas na UTQ. Entre as vítimas uma criança de sete anos, que sofreu queimadura em todo o rosto. Desde o dia 13 de junho das 19 pessoas atendidas com queimaduras, sete delas foram por fogos de artificio.
Reforço – Para atender a grande demanda gerada com os festejos juninos, a escala médica da UTQ foi reforçada, mas é na prevenção que a unidade também fortalece a sua atuação. "Nós gostaríamos de lembrar à população que infelizmente casos de queimadura acontecem durante todo o ano. Porém, nessa época, nós temos um número muito maior de incidentes envolvendo fogos de artificio. E essas queimaduras geralmente são graves e com o percentual muito grande de mutilações", alertou a  coordenadora do serviço de cirurgia plástica e da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgência de Sergipe, Madeleine Ramos.
Ela destacou ainda, que existe uma falsa impressão de segurança com o uso de chuvinhas, cobrinhas, que talvez não tenham um poder de explosão. "O fato desses artefatos eliminarem faíscas podem atingir as vestes. E crianças tem a estrutura física fragilizada e uma capacidade de se defender diminuída. Costumamos atender queimaduras de face, tórax e de membros inferiores. No caso daquelas pessoas que acabam utilizando as bombas, nós temos inclusive amputações parciais ou totais, de mãos ou de dedos".
Outra orientação é sobre os primeiros socorros. A médica recomenda que nos casos de queimaduras é feito  somente o resfriamento do órgão afetado, com água corrente, e  envolver o membro queimado com um pano limpo. Após este procedimento, o paciente deve ser conduzido ao serviço médico para atendimento adequado.
O Huse possui um dos mais equipados serviços de assistência a vítimas de queimaduras do Nordeste, sendo um dos poucos da região credenciados pelo Ministério da Saúde como referência nesse tipo de tratamento. Atualmente, o espaço funciona com 14 leitos e aparelhagem de suporte clínico avançado. Desses 14, quatro são exclusivos para crianças e dois são utilizados como semi-intensivos, sendo que estes últimos também servem para isolamento em caso de necessidade.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade