Sábado, 13 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Suspeito de tiroteio na Santa Gleide morre


Avatar

Publicado em 15 de junho de 2012
Por Jornal Do Dia


Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Menos de quatro dias depois de se entregar à polícia e negar sua participação no tiroteio ocorrido em 27 de abril, na Avenida Santa Gleide (bairro São Carlos, zona oeste de Aracaju), o preso Carlos Henrique Oliveira Cardoso, 26 anos, morreu às 6h de anteontem no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde estava internado para tratar o ferimento de um tiro que levou mo braço esquerdo. Segundo reportagem publicada ontem à tarde pelo site Infonet, a causa inicial da morte de Henrique foi um "distúrbio hidroeletrolítico", quando os níveis de sódio e potássio do organismo do paciente entram em desequilíbrio, afetando diretamente o funcionamento dos órgãos internos do corpo.
A morte teria ocorrido após a cirurgia feita pelos médicos para retirar uma bala que ficou alojada embaixo do braço do suspeito, que segundo um exame de raio-X encontrado na casa dele pela polícia, em 17 de maio, foi atravessado pelo tiro e sofreu uma fratura no osso. O Huse não deixou claro se o distúrbio no organismo de Carlos teve relação direta com a operação, mas indica-se que a situação foi agravada pela demora dele em tratar o ferimento. Segundo as investigações do Departamento de Homicídios da Polícia Civil (DHPP), o acusado foi baleado em 27 de abril, mas só procurou o hospital em 9 de maio e liberado poucos dias depois. Carlos, por sua vez, disse à polícia que foi baleado em janeiro, depois de ser atingido por uma bala perdida.
O corpo de Carlos Henrique, que já foi processado por roubo e também era investigado por tráfico de drogas, foi liberado ontem pelo Instituto Médico-Legal (IML), que deve concluir dentro de 30 dias um laudo mais detalhado que vai apontar a causa da morte. O suspeito foi apontado como participante do tiroteio – e teve sua prisão temporária decretada pela Justiça – depois de ser reconhecido pelo agente sócio-educativo Ralph Souza Monteiro, que trocou tiros com os suspeitos na Santa Gleide e acabou preso por envolvimento com a "Chacina do Huse", ocorrida horas depois do tiroteio, quando três pacientes foram mortos a tiros dentro da Ala Verde do hospital.
O tiroteio da Santa Gleide resultou na morte do padeiro Jailson Alves de Souza, 32 anos, sobrinho de Ralph, que o acompanhava no São Carlos em uma busca por uma moto de sua propriedade que tinha sido roubada. Jailson levou um tiro nas costas, possivelmente disparado por Willames Aranha dos Santos, cunhado do suspeito, preso desde 17 de maio. Segundo a diretora do DHPP, delegada Thereza Simony Silva, a morte do suspeito foi "uma fatalidade", mas não vai atrapalhar os rumos da investigação.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade