Quinta, 22 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE


Internacionalização na Educação Superior


Avatar

Publicado em 07 de setembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


A educação superior tem relevância para a formação cidadã, para a empregabilidade e para uma perspectiva de vida mais universal que local. Assim, as possibilidades existentes em uma educação superior que envolvem a internacionalização abrem novas janelas de oportunidades para os estudantes.
A temática da internacionalização no ensino superior é necessária, diante dos desafios que enfrentamos como sociedade e a futura transformação do mercado de trabalho que exigem competências em rápido crescimento e em um sistema de ensino superior ágil, equitativo, ecológico e que possa evoluir e adaptar-se aos novos tempos.
Aprender um novo idioma, a cultura local, as práticas diferenciadas de sua futura profissão e expandir contatos é um ganho relevante para os alunos, além de ser uma transformação na forma de educar.
No mundo atual é necessário que qualquer profissional esteja habilitado para compreensão e resolução de questões globais, a exemplo de: temas sociais, políticos, culturais, econômicos, ambientais e geopolíticos. E a internacionalização do ensino permite esta possibilidade, ampliando a capacidade crítica do futuro profissional e as suas competências técnicas de criatividade e comunicação em um ambiente globalizado e interconectado.
Qualquer formação profissional exige o conhecimento teórico e prático e acima de tudo, a capacidade de resolver situações complexas e também a possibilidade de adaptação para as mudanças e inovações que surgem.
Se o mundo está globalizado as Universidades devem atuar para que os seus alunos e professores estejam interconectados com um novo capital intelectual global e com disseminação de conhecimentos mundiais. É por isso que algumas estão unindo os recursos digitais, tecnológicos e acadêmicos para que os alunos possam ter experiências e vivências profissionais com profissionais renomados internacionalmente em suas áreas, por meios presenciais e com plataformas digitais.
O conceito de educação transnacional está sendo aplicado em diversas universidades britânicas e se diferencia da educação internacional tradicional porque permite que alunos de uma determinada universidade estudem em uma instituição do exterior, sem necessariamente sair de seu país de origem e ampliando o horizonte da internacionalização do ensino superior.
Na Europa por exemplo, as instituições de ensino superior enfrentam desafios crescentes como: planejamento em face da incerteza mundial; a necessidade de atender expectativas mais exigentes dos alunos em um mundo com mais inovação e digital. E referidos desafios em minha opinião também são aplicáveis às instituições de ensino superior do Brasil.
Em Sergipe, temos um exemplo que conheço e que tem buscado evoluir e desenvolver cada vez mais na consolidação da internacionalização do ensino superior, que é o da Universidade Tiradentes (UNIT), através do seu Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional (ProMAI). No referido programa o aluno da Universidade Tiradentes tem a oportunidade de cursar um semestre acadêmico em uma universidade parceira no exterior, como complemento do conteúdo que é ensinado no Brasil.
Neste 2º semestre de 2023, a Universidade Tiradentes abriu um edital recente para mais de 100 vagas em 43 Universidades e Faculdades estrangeiras que possuem acordo com a UNIT em 14 países; África do Sul, Argentina, Chile, China, Colômbia, Coréia do Sul, Croácia, Espanha, Letônia, México, Moçambique, Peru, Portugal e Uruguai.
Cabe ressaltar que semestralmente alunos da Universidade Tiradentes das áreas de formação existentes na instituição (Ciências, Humanas, Ciências Exatas e Saúde), nos diversos cursos, viajam para o exterior para vivenciarem uma experiência que marcará a vida deles. No semestre anterior por exemplo, alunos dos cursos de Arquitetura, Psicologia, Direito, Farmácia, Administração, Fisioterapia, Medicina e Enfermagem estiveram participando da referida experiência nos seguintes países e instituições: México – Universidad Popular Autónoma del Estado de Puebla; Peru – Universidad Católica de Santa María; Colômbia – Universidad de Boyacá e Universidad de Santo Tomás; Portugal – Universidade Lusófona do Porto, Universidade do Porto, Universidade Fernando Pessoa, Universidade de Évora, e Universidade de Lisboa; Argentina – Universidad Nacional de Quilmes, Universidad de Congreso, Universidad Nacional Tres de Febrero; e Coreia do Sul Universidade Católica da Coreia.
Destaco ainda que além do ProMAI, a Universidade Tiradentes possui duas outras iniciativas que possibilitam a realização de mobilidade acadêmica de curta duração: Programa Clerkship for Medical Students (Internato em Boston): Em 2022, 15 estudantes de medicina da UNIT foram às instalações médicas do Cambridge Health Alliance, nos EUA, realizar um módulo de seu internato. Em 2023, duas das três turmas (10 alunos, do total de 15) já foram à Boston através do mesmo programa e Programa Laboratório Social: No primeiro semestre de 2023, 5 alunos dos cursos de Direito e Arquitetura e Urbanismo foram à Universidade de Valladolid (Espanha) para serem co-orientados em seu Trabalho de Conclusão de Curso por docentes da referida instituição de ensino superior.
Assim, como envia estudantes para experiências no exterior, a UNIT também recebe alunos do exterior para intercambiar com alunos e professores da instituição no Brasil, como ocorreu recentemente com o estudante de medicina norte-americano, Benjamin Cole, que escolheu a Universidade Tiradentes como anfitriã para realizar um período de práticas médicas focadas em atenção primária.
E assim entendo ser possível evoluir na formação de cidadãos globais que possam transformar a nossa morada em um mundo melhor, através das experiências propiciadas pela internacionalização do ensino superior.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE