Uma estreia em plena pandemia

Rian Santos


  • Uma preciosidade

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
A dica é do nosso Cine 
Vitória, em campanha 
permanente para sobreviver à pandemia. A Vitrine Filmes lança dia hoje a animação 'Os Olhos de Cabul', dirigida por ZabouBreitman e EléaGobbé-Mévelle, na plataforma Cinema Virtual. Após a suspensão dos lançamentos nas salas de cinema, essa será a primeira estreia da distribuidora realizada prioritariamente no ambiente digital. 
O lançamento em parceria com o Cinema Virtual, nova plataforma de aluguel de filmes, pretende minimizar o impacto da COVID-19 no circuito de exibição. A plataforma funciona como uma extensão online dos cinemas, com estreias às quintas-feiras e conteúdos exclusivos, trazendo filmes inéditos e premiados, e remunerando os exibidores mesmo com os espectadores assistindo em casa. Os ingressos por sessão custam R$ 19,90.
Os olhos de Cabul- A animação, que teve sua estreia mundial no Festival de Cannes (2019), na mostra UnCertainRegard, e venceu o prêmio Gan Foundation Award for Distribution, no Festival de Cinema de Animação de Annecy, narra a história de Zunaira e Mohsen, um casal jovem e apaixonado, que vive numa Cabul sob o regime do grupo radical islâmico Talibã. Apesar de toda a violência e miséria diária, eles alimentam a esperança de um futuro melhor. Ela, uma pintora liberal na arte e na personalidade, vê sua liberdade completamente retirada ao ter que se enquadrar as regras do regime. Ele, um professor universitário que foi obrigado a deixar seu cargo após a destruição da Universidade de Cabul, também sofre ao ser submetido às ordens machistas para manter-se dentro do esperado pela sociedade ao qual faz parte.
Paralelamente, o longa também acompanha a jornada de Atiq e Mussarat, um casal mais velho que se adaptou ao sistema como forma de sobrevivência. Ele é carcereiro de uma prisão destinada a mulheres condenadas à execução e aliado do Talibã. Apesar de questionar-se sobre as atitudes que toma, ele cede frequentemente à pressão do regime por medo. Mussarat, sua esposa, que está com uma doença terminal, luta entre manter-se viva, sustentar seu casamento e cumprir o papel de companheira submissa, estabelecido pelas regras do radicalismo.
O longa costura a história dos quatro personagens e traz à tona o quanto o regime político influencia a vida de todos, sem exceção. Dirigido por duas mulheres, as francesas ZabouBreitman e EléaGobbé-Mévellec, a forma como a animação retrata a vida das afegãs e o machismo avassalador que as cerca é sutil e poderosa. O filme é uma adaptação do livro 'As Andorinhas de Cabul', de YasminaKhadra.
Além do Festival de Cannes e do Festival de Cinema de Animação de Annecy, ambos na França, o longa foi exibido no Festival de Cinema de Valletta, em Malta (2019), onde ganhou o Audience Awards, e no Festival Freistadt, na Áustria (2019), vencendo como Melhor Filme. Por aqui, a animação foi exibida na 43ª Mostra Internacional de Cinema, no último Festival do Rio, e estava selecionada para o Festival Varilux de Cinema Francês deste ano, suspenso por conta da pandemia.

Rian Santos

A dica é do nosso Cine  Vitória, em campanha  permanente para sobreviver à pandemia. A Vitrine Filmes lança dia hoje a animação 'Os Olhos de Cabul', dirigida por ZabouBreitman e EléaGobbé-Mévelle, na plataforma Cinema Virtual. Após a suspensão dos lançamentos nas salas de cinema, essa será a primeira estreia da distribuidora realizada prioritariamente no ambiente digital. 
O lançamento em parceria com o Cinema Virtual, nova plataforma de aluguel de filmes, pretende minimizar o impacto da COVID-19 no circuito de exibição. A plataforma funciona como uma extensão online dos cinemas, com estreias às quintas-feiras e conteúdos exclusivos, trazendo filmes inéditos e premiados, e remunerando os exibidores mesmo com os espectadores assistindo em casa. Os ingressos por sessão custam R$ 19,90.

Os olhos de Cabul- A animação, que teve sua estreia mundial no Festival de Cannes (2019), na mostra UnCertainRegard, e venceu o prêmio Gan Foundation Award for Distribution, no Festival de Cinema de Animação de Annecy, narra a história de Zunaira e Mohsen, um casal jovem e apaixonado, que vive numa Cabul sob o regime do grupo radical islâmico Talibã. Apesar de toda a violência e miséria diária, eles alimentam a esperança de um futuro melhor. Ela, uma pintora liberal na arte e na personalidade, vê sua liberdade completamente retirada ao ter que se enquadrar as regras do regime. Ele, um professor universitário que foi obrigado a deixar seu cargo após a destruição da Universidade de Cabul, também sofre ao ser submetido às ordens machistas para manter-se dentro do esperado pela sociedade ao qual faz parte.
Paralelamente, o longa também acompanha a jornada de Atiq e Mussarat, um casal mais velho que se adaptou ao sistema como forma de sobrevivência. Ele é carcereiro de uma prisão destinada a mulheres condenadas à execução e aliado do Talibã. Apesar de questionar-se sobre as atitudes que toma, ele cede frequentemente à pressão do regime por medo. Mussarat, sua esposa, que está com uma doença terminal, luta entre manter-se viva, sustentar seu casamento e cumprir o papel de companheira submissa, estabelecido pelas regras do radicalismo.
O longa costura a história dos quatro personagens e traz à tona o quanto o regime político influencia a vida de todos, sem exceção. Dirigido por duas mulheres, as francesas ZabouBreitman e EléaGobbé-Mévellec, a forma como a animação retrata a vida das afegãs e o machismo avassalador que as cerca é sutil e poderosa. O filme é uma adaptação do livro 'As Andorinhas de Cabul', de YasminaKhadra.
Além do Festival de Cannes e do Festival de Cinema de Animação de Annecy, ambos na França, o longa foi exibido no Festival de Cinema de Valletta, em Malta (2019), onde ganhou o Audience Awards, e no Festival Freistadt, na Áustria (2019), vencendo como Melhor Filme. Por aqui, a animação foi exibida na 43ª Mostra Internacional de Cinema, no último Festival do Rio, e estava selecionada para o Festival Varilux de Cinema Francês deste ano, suspenso por conta da pandemia.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS