Covid-19 e a elevação dos Custos Comerciais

Saumínio Nascimento

 

A Organização Mundial do Comércio 
(OMC) publicou recentemente uma 
nova nota informativa (de apenas 10 paginas) que alerta sobre possíveis aumentos nos custos comerciais devido a interrupções no COVID-19. A nota da organização internacional examina o impacto da pandemia nos principais componentes dos custos de comércio, particularmente aqueles relacionados a viagens e transporte, política comercial, incerteza e identifica áreas onde custos mais altos podem persistir mesmo após a pandemia ser contida.
 De acordo com a nota da OMC a estimativa é a de que os custos de viagem e transporte representam até um terço dos custos comerciais, dependendo do setor. Assim, as restrições de viagens relacionadas à pandemia, portanto, provavelmente afetarão os custos comerciais enquanto permanecerem em vigor. 
A entidade em sua nota informativa informa que a capacidade global de carga aérea encolheu 24,6% em março de 2020, pois os voos de passageiros representam cerca de metade dos volumes de carga aérea. Dessa forma, a OMC entende que o aumento resultante nos preços do frete aéreo provavelmente diminuirá apenas com uma recuperação no transporte de passageiros. Embora o transporte marítimo e terrestre não tenha enfrentado choques comparáveis, o transporte marítimo tem visto uma diminuição no número de viagens, enquanto o transporte terrestre internacional foi afetado pelo fechamento de fronteiras, medidas sanitárias e desvios. Além disso, viagens de negócios, que é importante para manter relações comerciais e gerenciar cadeias globais de valor, além de ser uma atividade econômica significativa por direito próprio, está sendo desestruturada. Para a OMC, a qualidade da infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação (TIC) e a preparação digital serão importantes para determinar como as economias podem lidar com isso.
Eu particularmente julgo que não voltaremos ao patamar de viagens que tínhamos no passado, entendo que poucas serão as reuniões de negócios presenciais, acredito que muitas reuniões permanecerão no modelo virtual, mais prático, funcional e com um custo muito menor.
O relatório da OMC aponta para a incerteza como um fator que amplia o impacto dos custos existentes relacionados ao comércio, pesando sobre os fluxos de financiamento do comércio e diminuindo o apetite das empresas em investir na pesquisa de novos mercados, aquisição de competências linguísticas e parceiros em potencial e em conformidade com os padrões estrangeiros. Infelizmente incerteza tem prevalecido no meio empresarial pelo mundo.
Importante ressaltar que o relatório tem um olhar para o futuro, observa-se que muitos governos implementaram medidas para mitigar interrupções na atividade econômica relacionadas à pandemia, por exemplo, isentando certas tripulações de transporte de restrições de viagem ou melhorando a qualidade e o acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação.
A OMC observa uma grande incerteza nas novas políticas comerciais que os países irão implementar depois que a pandemia for controlada, o relatório observa que alguns efeitos podem persistir. Por exemplo, a consolidação do setor de aviação e as mudanças no apetite dos passageiros por viagens aéreas podem levar a custos mais elevados de transporte aéreo. 
No relatório está apontado que os serviços comercializáveis que dependem da proximidade física entre fornecedores e consumidores, como turismo, transporte de passageiros ou serviços de manutenção e reparo, foram severamente afetados por restrições de viagens e distanciamento social e viram um aumento proibitivo nos custos comerciais. A interrupção nas viagens de negócios, que desempenha um papel importante no estabelecimento e manutenção de relações comerciais, bem como na gestão de cadeias de valor globais, também pode afetar os negócios e os serviços profissionais e a produção de manufatura, embora isso dependa de como é possível substituir e-interações para comunicação face a face.
De acordo com o estudo estamos vivendo um período em que o nível de incerteza é maior que os níveis desencadeados pela Guerra do Iraque e o surto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) em 2003. Assim, a incerteza reduz o apetite de empresas para investir em novas relações comerciais, e o aumento da incerteza também pode resultar na contração do financiamento do comércio, que provavelmente terá um impacto particularmente pesado sobre as economias emergentes e em desenvolvimento.
A OMC alerta que um dos meios mais eficazes de lidar com essa crise é por meio de informações precisas e oportunas. Para a OMC um público informado está melhor posicionado para tomar decisões acertadas, inclusive em questões relacionadas ao comércio. É por isso que a organização criou uma página no site da OMC para tratar do tema. Na página é possível encontrar informações relacionadas ao comércio atualizadas, incluindo notificações relevantes por membros da OMC, o impacto que o vírus teve nas exportações e importações e como as atividades da OMC foram afetadas pela pandemia.
Sabe-se que cada crise econômica global traz um declínio no comércio mundial, mas cada crise é diferente. Portanto, mesmo que os custos comerciais, na forma de protecionismo abrangente, tenham desempenhado um papel de liderança na forte retração do comércio mundial durante a grande depressão de 1929 e 1930, no colapso do comércio que vivenciamos agora, os Governos em todo o mundo responderam à crise de saúde COVID-19 impondo medidas de mitigação que paralisaram, ou pelo menos reduziram fortemente, muitos setores econômicos e ainda tivemos distanciamento social, quarentena, bloqueios e restrições de viagens e, tudo isso contribuiu para alterar os indicadores previstos para a economia mundial em 2019, em face da afetação dos custos de comércio.
Agora é buscar a reversão do aumento dos custos comerciais decorrentes da pandemia (COVID-19).

A Organização Mundial do Comércio  (OMC) publicou recentemente uma  nova nota informativa (de apenas 10 paginas) que alerta sobre possíveis aumentos nos custos comerciais devido a interrupções no COVID-19. A nota da organização internacional examina o impacto da pandemia nos principais componentes dos custos de comércio, particularmente aqueles relacionados a viagens e transporte, política comercial, incerteza e identifica áreas onde custos mais altos podem persistir mesmo após a pandemia ser contida.
 De acordo com a nota da OMC a estimativa é a de que os custos de viagem e transporte representam até um terço dos custos comerciais, dependendo do setor. Assim, as restrições de viagens relacionadas à pandemia, portanto, provavelmente afetarão os custos comerciais enquanto permanecerem em vigor. 
A entidade em sua nota informativa informa que a capacidade global de carga aérea encolheu 24,6% em março de 2020, pois os voos de passageiros representam cerca de metade dos volumes de carga aérea. Dessa forma, a OMC entende que o aumento resultante nos preços do frete aéreo provavelmente diminuirá apenas com uma recuperação no transporte de passageiros. Embora o transporte marítimo e terrestre não tenha enfrentado choques comparáveis, o transporte marítimo tem visto uma diminuição no número de viagens, enquanto o transporte terrestre internacional foi afetado pelo fechamento de fronteiras, medidas sanitárias e desvios. Além disso, viagens de negócios, que é importante para manter relações comerciais e gerenciar cadeias globais de valor, além de ser uma atividade econômica significativa por direito próprio, está sendo desestruturada. Para a OMC, a qualidade da infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação (TIC) e a preparação digital serão importantes para determinar como as economias podem lidar com isso.
Eu particularmente julgo que não voltaremos ao patamar de viagens que tínhamos no passado, entendo que poucas serão as reuniões de negócios presenciais, acredito que muitas reuniões permanecerão no modelo virtual, mais prático, funcional e com um custo muito menor.
O relatório da OMC aponta para a incerteza como um fator que amplia o impacto dos custos existentes relacionados ao comércio, pesando sobre os fluxos de financiamento do comércio e diminuindo o apetite das empresas em investir na pesquisa de novos mercados, aquisição de competências linguísticas e parceiros em potencial e em conformidade com os padrões estrangeiros. Infelizmente incerteza tem prevalecido no meio empresarial pelo mundo.
Importante ressaltar que o relatório tem um olhar para o futuro, observa-se que muitos governos implementaram medidas para mitigar interrupções na atividade econômica relacionadas à pandemia, por exemplo, isentando certas tripulações de transporte de restrições de viagem ou melhorando a qualidade e o acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação.
A OMC observa uma grande incerteza nas novas políticas comerciais que os países irão implementar depois que a pandemia for controlada, o relatório observa que alguns efeitos podem persistir. Por exemplo, a consolidação do setor de aviação e as mudanças no apetite dos passageiros por viagens aéreas podem levar a custos mais elevados de transporte aéreo. 
No relatório está apontado que os serviços comercializáveis que dependem da proximidade física entre fornecedores e consumidores, como turismo, transporte de passageiros ou serviços de manutenção e reparo, foram severamente afetados por restrições de viagens e distanciamento social e viram um aumento proibitivo nos custos comerciais. A interrupção nas viagens de negócios, que desempenha um papel importante no estabelecimento e manutenção de relações comerciais, bem como na gestão de cadeias de valor globais, também pode afetar os negócios e os serviços profissionais e a produção de manufatura, embora isso dependa de como é possível substituir e-interações para comunicação face a face.
De acordo com o estudo estamos vivendo um período em que o nível de incerteza é maior que os níveis desencadeados pela Guerra do Iraque e o surto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) em 2003. Assim, a incerteza reduz o apetite de empresas para investir em novas relações comerciais, e o aumento da incerteza também pode resultar na contração do financiamento do comércio, que provavelmente terá um impacto particularmente pesado sobre as economias emergentes e em desenvolvimento.
A OMC alerta que um dos meios mais eficazes de lidar com essa crise é por meio de informações precisas e oportunas. Para a OMC um público informado está melhor posicionado para tomar decisões acertadas, inclusive em questões relacionadas ao comércio. É por isso que a organização criou uma página no site da OMC para tratar do tema. Na página é possível encontrar informações relacionadas ao comércio atualizadas, incluindo notificações relevantes por membros da OMC, o impacto que o vírus teve nas exportações e importações e como as atividades da OMC foram afetadas pela pandemia.
Sabe-se que cada crise econômica global traz um declínio no comércio mundial, mas cada crise é diferente. Portanto, mesmo que os custos comerciais, na forma de protecionismo abrangente, tenham desempenhado um papel de liderança na forte retração do comércio mundial durante a grande depressão de 1929 e 1930, no colapso do comércio que vivenciamos agora, os Governos em todo o mundo responderam à crise de saúde COVID-19 impondo medidas de mitigação que paralisaram, ou pelo menos reduziram fortemente, muitos setores econômicos e ainda tivemos distanciamento social, quarentena, bloqueios e restrições de viagens e, tudo isso contribuiu para alterar os indicadores previstos para a economia mundial em 2019, em face da afetação dos custos de comércio.
Agora é buscar a reversão do aumento dos custos comerciais decorrentes da pandemia (COVID-19).

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS