Movimentações Populacionais nos Municípios Sergipanos

Saumínio Nascimento

 

Abordarei neste breve ensaio as princi
pais movimentações populacionais 
ocorridas nos municípios sergipanos no período de 2019 para 2020, conforme as estimativas divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A primeira informação é a de que a população de Sergipe evoluiu de 2019 para 2020 em 20.126 habitantes, e chegamos a 2.318.822 habitantes, crescimento de 0,87554%. Claro que é uma estimativa, pois no dia que vocês estiverem lendo este artigo a população já será maior.
Os municípios que perderam população foram: Arauá, Canhoba, Gararu, Itabi, Japoatã, Neópolis e Tomar do Geru; a maior perda de população ocorreu no município de Arauá (redução de 109 habitantes).
Do outro lado, os demais 68 municípios apresentaram incremento na população, destacando-se que os cinco maiores incrementos ocorreram em: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Lagarto e Itabaiana. Aracaju teve o maior incremento de população (7.895), e isto equivale a população do município de Santana do São Francisco.
Sergipe tem 27 municípios (36% dos municípios) com população inferior a 10.000 habitantes e desagregando-se ainda mais, temos dentre estes 27 municípios, 11 municípios com menos de 5 mil habitantes.
Vale registrar que no ano passado ocorreu uma polêmica sobre uma proposta de mudança no Pacto Federativo que tratava de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), visando extinguir municípios pequenos considerados inviáveis financeiramente. Pela proposta apresentada, cidades com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria inferior a 10% da receita total seriam incorporadas pelo município vizinho.  Se a proposta tivesse indo adiante desapareceriam em Sergipe, os seguintes municípios: Itabi, Canhoba, Cumbe, São Miguel do Aleixo, Santa Rosa de Lima, São Francisco, Malhada dos Bois, General Maynard, Pedra Mole, Telha e Amparo do São Francisco. A soma da população destes 11 municípios é de 40.538 habitantes; é menor que a população do município de Tobias Barreto que possui 52.530 habitantes.
O município com a menor população do Estado, Santana do São Francisco, que possui 2.380 habitantes, tem uma população inferior ao Bairro Salgado Filho que fica em Aracaju.
A soma da população dos 27 municípios sergipanos com menos de 10 mil habitantes é de 162.282 habitantes; é menor que a população de Nossa Senhora do Socorro que possui 185.706 habitantes e é o 2º município em população no Estado de Sergipe.
Em Sergipe, apenas três municípios possuem uma população superior a 100 mil habitantes: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Lagarto; os três municípios possuem uma população que representa 41,2% dos habitantes de Sergipe. Vale registrar que em 2020, 324 municípios brasileiros possuíam população superior a cem mil habitantes. A maior população do Estado é a da capital, Aracaju, que possui 664.908 habitantes, sua população é equivalente a soma da população dos 56 municípios menos populosos de Sergipe, ou seja, aproximadamente 74,7% dos municípios de Sergipe.  
Isto trás para Sergipe uma modernização tardia e incompleta, pois os municípios com mais de 100 mil habitantes tendem a possuir uma urbanização corporativa mais forte e organizada com seletividade dos investimentos urbanos (público privados). O desafio nestes municípios é o crescimento de regiões periféricas com pobreza extrema, desigualdades, violências e a organização da mobilidade urbana.
Analisando a população da Região Metropolitana de Aracaju, que foi criada pela Lei Complementar Estadual nº 25, de 29 de dezembro de 1995, e é composta pelos Municípios de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão, tendo como sede o município de Aracaju. Teremos nesta Região Metropolitana uma população de 972.637 habitantes (41,94% da população do Estado de Sergipe), revelando um alto grau de concentração geográfica da população.
Agora vamos comentar os municípios que possuem mais de 20 mil habitantes, destaco esta classificação porque tais municípios são obrigados a ter o plano diretor de desenvolvimento urbano, que é um instrumento básico da política urbana no Brasil.
Em Sergipe os seguintes municípios possuem mais de 20 mil habitantes e devem ter plano diretor: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Lagarto, Itabaiana, São Cristóvão, Estância, Tobias Barreto, Itabaianinha, Simão Dias, Nossa Senhora da Glória, Poço Redondo, Itaporanga d' Ajuda, Capela, Barra dos Coqueiros, Canindé do São Francisco, Laranjeiras, Propriá, Porto da Folha, Boquim, Nossa Senhora das Dores, Umbaúba, Poço Verde, Carira, Aquidabã e Salgado.
A dinâmica de informações da população sergipana é um direcionador das políticas públicas a serem implementadas nos municípios que criam hierarquias entre si, visando uma harmonização do atendimento das necessidades principais. 

Abordarei neste breve ensaio as princi pais movimentações populacionais  ocorridas nos municípios sergipanos no período de 2019 para 2020, conforme as estimativas divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A primeira informação é a de que a população de Sergipe evoluiu de 2019 para 2020 em 20.126 habitantes, e chegamos a 2.318.822 habitantes, crescimento de 0,87554%. Claro que é uma estimativa, pois no dia que vocês estiverem lendo este artigo a população já será maior.
Os municípios que perderam população foram: Arauá, Canhoba, Gararu, Itabi, Japoatã, Neópolis e Tomar do Geru; a maior perda de população ocorreu no município de Arauá (redução de 109 habitantes).
Do outro lado, os demais 68 municípios apresentaram incremento na população, destacando-se que os cinco maiores incrementos ocorreram em: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Lagarto e Itabaiana. Aracaju teve o maior incremento de população (7.895), e isto equivale a população do município de Santana do São Francisco.
Sergipe tem 27 municípios (36% dos municípios) com população inferior a 10.000 habitantes e desagregando-se ainda mais, temos dentre estes 27 municípios, 11 municípios com menos de 5 mil habitantes.
Vale registrar que no ano passado ocorreu uma polêmica sobre uma proposta de mudança no Pacto Federativo que tratava de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), visando extinguir municípios pequenos considerados inviáveis financeiramente. Pela proposta apresentada, cidades com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria inferior a 10% da receita total seriam incorporadas pelo município vizinho.  Se a proposta tivesse indo adiante desapareceriam em Sergipe, os seguintes municípios: Itabi, Canhoba, Cumbe, São Miguel do Aleixo, Santa Rosa de Lima, São Francisco, Malhada dos Bois, General Maynard, Pedra Mole, Telha e Amparo do São Francisco. A soma da população destes 11 municípios é de 40.538 habitantes; é menor que a população do município de Tobias Barreto que possui 52.530 habitantes.
O município com a menor população do Estado, Santana do São Francisco, que possui 2.380 habitantes, tem uma população inferior ao Bairro Salgado Filho que fica em Aracaju.
A soma da população dos 27 municípios sergipanos com menos de 10 mil habitantes é de 162.282 habitantes; é menor que a população de Nossa Senhora do Socorro que possui 185.706 habitantes e é o 2º município em população no Estado de Sergipe.
Em Sergipe, apenas três municípios possuem uma população superior a 100 mil habitantes: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Lagarto; os três municípios possuem uma população que representa 41,2% dos habitantes de Sergipe. Vale registrar que em 2020, 324 municípios brasileiros possuíam população superior a cem mil habitantes. A maior população do Estado é a da capital, Aracaju, que possui 664.908 habitantes, sua população é equivalente a soma da população dos 56 municípios menos populosos de Sergipe, ou seja, aproximadamente 74,7% dos municípios de Sergipe.  
Isto trás para Sergipe uma modernização tardia e incompleta, pois os municípios com mais de 100 mil habitantes tendem a possuir uma urbanização corporativa mais forte e organizada com seletividade dos investimentos urbanos (público privados). O desafio nestes municípios é o crescimento de regiões periféricas com pobreza extrema, desigualdades, violências e a organização da mobilidade urbana.
Analisando a população da Região Metropolitana de Aracaju, que foi criada pela Lei Complementar Estadual nº 25, de 29 de dezembro de 1995, e é composta pelos Municípios de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão, tendo como sede o município de Aracaju. Teremos nesta Região Metropolitana uma população de 972.637 habitantes (41,94% da população do Estado de Sergipe), revelando um alto grau de concentração geográfica da população.
Agora vamos comentar os municípios que possuem mais de 20 mil habitantes, destaco esta classificação porque tais municípios são obrigados a ter o plano diretor de desenvolvimento urbano, que é um instrumento básico da política urbana no Brasil.
Em Sergipe os seguintes municípios possuem mais de 20 mil habitantes e devem ter plano diretor: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Lagarto, Itabaiana, São Cristóvão, Estância, Tobias Barreto, Itabaianinha, Simão Dias, Nossa Senhora da Glória, Poço Redondo, Itaporanga d' Ajuda, Capela, Barra dos Coqueiros, Canindé do São Francisco, Laranjeiras, Propriá, Porto da Folha, Boquim, Nossa Senhora das Dores, Umbaúba, Poço Verde, Carira, Aquidabã e Salgado.
A dinâmica de informações da população sergipana é um direcionador das políticas públicas a serem implementadas nos municípios que criam hierarquias entre si, visando uma harmonização do atendimento das necessidades principais. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS